A nova onda de escritórios virtuais desperta o interesse de empresários e de profissionais que buscam espaços compartilhados

 Crises para uns, crescimento para outros. O mercado de coworking no Brasil surfou na onda da crise econômica nos últimos anos. Isso por que cada vez mais empresas estão buscando reduzir custos com o negócio. E para não precisar cortar na mão de obra a alternativa tem sido optar por se instalar em endereços mais baratos, mas sem perder a localização estratégica.

Corte de gastos com energia elétrica, água, limpeza e atendimento também estão entre as vantagens oferecidas pelos espaços compartilhados, que dispõe ainda de outros serviços e comodidades.

De acordo com o último senso do seguimento, realizado pelo CoworkingBrasil.org, já são 1.497 espaços de coworking no Brasil, 303 a mais que no ano anterior. Deste total, 47 estão no Distrito Federal, que ocupa a 8ª posição no ranking dos estados, ficando atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Pernambuco.Para o empresário Saulo Da Rós, CEO da SMART Escritórios Inteligentes, este crescimento mostra que os coworkings são uma tendência sem volta. “Estamos vivendo a era do compartilhamento de carros, casas, bens móveis, escritórios e serviços, e isso é bom para o desenvolvimento sustentável da economia do nosso país”, afirma.

A inteligência deste modelo de negócio tem fomentado uma economia muito grande para as empresas. Em alguns casos a contenção chega a 92%. Para quem está começando, as vantagens são ainda maiores. Todas as salas são mobiliadas, o que dispensa a necessidade de qualquer tipo de investimento inicial. Isso sem contar que o compartilhamento de escritórios acaba gerando networking e oportunidades de negócio dentro dos próprios coworkings.

Presente no mercado brasiliense a seis anos, a SMART Escritórios Inteligentes deu início a um plano de expansão que levará a marca para outras unidades da federação. Em 2019 foi inaugurada a primeira unidade fora de Brasília, em Teresina, capital do Piauí. Este ano, a marca chega em Curitiba (PR). Na capital federal a segunda unidade, que já está em funcionamento, será inaugurada em março.

Artigo anteriorDiogo e Hernani apresentam sucessos no Carnaval de Ouro Branco
Próximo artigoGrupo Sabin desenvolve teste para detectar o novo coronavírus
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.