Bsb Flash

Casa Cavé, completa 161 anos

R E S I S T Ê N C I A – Resume a icônica Casa Cavé, afinal, são 161 anos sobrevivendo e passando por todas as fases do Rio de Janeiro. Em tempos difíceis, ainda há motivos para comemorar.

 

A Casa Cavé é a doceria mais antiga da Cidade Maravilhosa, foi aberta em 5 de março de 1860, na Rua Sete de Setembro, nº 133. Fundada por Charles Auguste Cavé, francês que ficou à frente do negócio até 1922. A arquitetura marcante possui influência de diversos países, com lustres, vitrais e vidros em geral franceses; as cadeiras e as mesas foram projetadas por Cólon, um espanhol que residia no Brasil; e as luminárias que são brasileiras. Mas seus tradicionais doces são sua chancela.

 

Há registros de que o prefeito Pereira Passos, era habitué da casa, assim como o ex-presidente Juscelino Kubitschek. O que dizer de personalidades emblemáticas como Olavo Bilac, Chiquinha Gonzaga, Carlos Drummond de Andrade e Tarsila do Amaral, se deliciando com os quitutes da Casa Cavé? Entrar nela, é voltar ao passado, reviver um pouco do Rio Antigo.

Histórico –  Em 2000, a Casa Cavé deixou a esquina da Rua Uruguaiana com Sete de Setembro (Rua Sete de Setembro, nº 133), e passou a ocupar uma loja na Rua Sete de Setembro, no número 137 – onde foi a Chapelaria A Radiante. Mantendo sua arquitetura marcante do antigo endereço onde a Cavé esteve por 140 anos. Em 2015, o prédio tombado na esquina da Rua Sete de Setembro com Uruguaiana, que guarda parte da história do Rio e dos cariocas, voltou a abrigar a confeitaria mais antiga da cidade (completa 6 anos, em maio de 2021). Foi preciso esperar 15 anos, mas, a Cavé, finalmente, resgatou seu passado de glória em seu endereço tradicional. E ainda mantém a outra unidade no mesmo quarteirão, nº 137.

Diariamente, são produzidos doces da pâtisserie francesa, como Palmier (com cobertura doce de ovos), Croissant (chocolate / creme), Mil Folhas e Eclair (bomba de chocolate / creme) e Tarte de Morango. Doces brasileiros com o Sonho (com creme), Quindim e Queijadinha, fazem as honras da casa. Todos por R$ 9,80 cada. 
 
Outras gostosuras também fazem sucesso como: Biscoito Raiva (chocolate com canela) – R$ 9,70 (100 gramas),  Araruta – por R$ 9,70 (100 gramas) e Petit Four de Nozes, por R$ 14,00 (100 gramas).
 
Na ala de salgados, a preferência fica por conta da coxinha de galinha e, claro, do tradicional bolinho de bacalhau, por R$ 8,70 cada.

Embora a casa tenha sido fundada por um francês e lembre os cafés parisienses, o cardápio sempre se destacou com os doces portugueses. Os Pastéis de Nata (famoso Pastel de Belém, é um folhado com creme especial de ovos, que divide com o Toucinho do Céu (de amêndoas) e o Dom Rodrigo (fios de ovos e canela), por R$ 9,80 (cada) o posto de mais antigos e representativos da confeitaria. 

A face portuguesa da casa se reflete também na decoração. Além do tradicional painel de azulejos com a Torre de Belém e vitrais coloridos no teto, a casa tem uma lojinha com lenços e iguarias portugueses, como sardinhas, geleias e marmelada.
“Estamos abertos com muita cautela, dentro das precauções e adequações necessárias. Vale ressaltar que o Centro da Cidade é muito peculiar, funciona basicamente nos dias úteis e durante o dia. A Casa Cavé, é um patrimônio histórico. Torço para que tudo se restabeleça. Estamos confiantes e concentrando nossos esforços para que consigamos passar por mais essa fase. Acredito também que são necessários novos incentivos ou até mesmo novas parcerias, ainda mais para uma casa tradicional como a nossa, que faz parte da história dessa cidade”, acentua Clarene Bernardo, administradora da Casa Cavé.

A Casa Cavé é muito mais que uma doceria com sabores tradicionais. É um patrimônio carioca que guarda, em cada pedaço da sua estrutura, a essência do Rio. Vida longa para a Casa Cavé

Endereço: Sete de Setembro, 133 – Centro, Rio de Janeiro
Tel: 2224 2520 – 2222 2358 – 9871 22391 (zap)
Aberto das 9h às 18h de segunda a sexta sábado das 9h às 13h

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Atualizações Recentes

Historiadora Lucília Neves Delgado cobra do governo federal pesquisa sobre vítimas do Covid-19

Historiadora Lucília Neves cobra do governo federal pesquisa sobre o Covid-19. Doutora em Ciências Humanas pela USP, Mestre em Ciência Política pela UFM e historiadora

Homenagem ao aniversariante Getúlio Vargas

Ex- presidente da Juventude Socialista do PDT, vice-presidente da Fundação Leonel Brizola e porta-voz do Rio Boa Praça, o cientista político Everton Gomes fará homenagens,

Casamentos continuam a acontecer, apesar da pandemia

Quarenta por cento dos casamentos realizados pela juíza Maria Victoria Riera, no 5°Registro Civil das Pessoas Naturais, em Botafogo, são de casais com renda inferior

Grano & Oliva cria combo para o aniversário de Brasília

A capital do país celebra 61 anos no dia 21 de abril. Para festejar a aniversariante do mês, a Grano & Oliva Pizzeria criou um

%d blogueiros gostam disto: