Bsb Flash

Estudo aponta tendência de alta na venda de soja aos árabes

Fonte: ANBA – Agência de Notícias Brasil-Árabe

São Paulo – As expectativas são de alta nos embarques de soja brasileira aos países árabes. A tendência foi apontada em estudo realizado pelo setor de Inteligência de Mercado (IM) da Câmara de Comércio Árabe Brasileira. Entre os motivos está o aumento do preço da commodity nos próximos anos no mercado internacional. Há indicações de que o crescimento nas exportações ocorrerá também em nível global.

O IM apontou que o potencial de mercado para o produto se deve à produção de ração animal e ao próprio uso para alimentação humana da soja. O imposto tarifário das vendas de soja do Brasil aos árabes é considerado baixo, o que também favorece o comércio.

É o que já ocorre nas exportações brasileiras à Arábia Saudita, Tunísia, Argélia e Egito. Estes países têm tarifa zero para as importações vindas do Brasil. De 2018 a 2020 os envios do produto se concentraram nesses quatro países.

Para ir além dessas fronteiras, o IM destaca como mercados potenciais o Bahrein, Iraque, Jordânia, Líbano, Palestina e Sudão. As tendências que levam esses mercados a se destacarem são a alteração dos hábitos de consumo atrelados à perspectiva de aumento da renda.

‘O consumo de soja tem crescido de maneira muito acentuada frente ao aumento da renda, principalmente em países em desenvolvimento. O Fundo Monetário Internacional estima um crescimento da renda na maioria dos países árabes entre 2020 e 2025, países nos quais também deve ser observado crescimento populacional relevante’, diz o texto do estudo.

Outro ponto é que, em decorrência do uso da soja como ração do gado, despontam oportunidades nos países árabes que têm avançado na produção de proteína animal. É o caso observado na criação de bovinos na Arábia Saudita, Catar, Omã e Tunísia.

Potencial e desafios

Entre os pontos fortes desse comércio está a contribuição da soja e seus subprodutos ao Produto Interno Bruto (PIB) e às exportações agrícolas no Brasil. Há, ainda, o fato da soja ser utilizada como substituta do leite em produtos como leite de soja, queijo de soja, ou adicionada a itens como pão de soja, massa e farinha, e da própria carne vegetal, que se alinha ao consumo entre os jovens árabes.

Nos países em desenvolvimento a chamada ‘transição nutricional’ impulsionaria também a compra de soja. O movimento pode ocorrer devido às rápidas mudanças socioeconômicas, demográficas e tecnológicas, que induzem a substituição gradual dos óleos e gorduras produzidos localmente por outros produtos.

Apesar de ser apontada como produto com potencial para diminuir a insegurança alimentar, o estudo aponta que é baixa a possibilidade da introdução ou expansão da produção de soja em países em desenvolvimento na África. Entre os desafios do mercado está a produção concentrada em poucos países, entre eles, Estados Unidos, Brasil, China e Argentina, que respondem por quase 90% da produção mundial. A monocultura também é alvo de críticas emergentes por conta da expansão da área cultivada.00

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Atualizações Recentes

De forma divertida, filhos comandam as redes sociais de Nanah durante a gravação do reality Ilha Record

A cantora, que também é influencer e empresária, deixou os filhos tomarem conta do seu Instagram durante o confinamento Desde que se popularizaram os reality

Kamaizar Lidera em App Palco MP3 como um dos mais baixado em MG

De origem humilde e da cidade de Curvelo no interior do estado de Minas Gerais, localizada há cerca de 168 km de Belo Horizonte, nasceu

Vinhedo Girassol promove visitação com degustação na plantação de uvas Syrah no cerrado

Clima e solo propícios para a plantação de uvas, somados ao sistema de Dupla poda, que conduz as uvas  para o amadurecimento no período seco

Doença Falciforme afeta 7 milhões de brasileiros e metade da população diz desconhecer a doença

O Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme é celebrado em 19 de junho para trazer conhecimento sobre o caso 47% da população diz

%d blogueiros gostam disto: