Paulo Lins e Silva: Direito de Família deve apreciar capacidade evolutiva do ser humano.
    Em palestra no Simpósio promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família ( IBDFAM), no auditório do Novotel,  no Rio de Janeiro,   Paulo Lins e Silva afirmou que as últimas descobertas da Ciência,  relacionadas à renovação da genética humana , ao nascimento dos bebês,  a criogenia, além de  inovações tecnológicas devem ser observadas pelo mundo jurídico,  pelo Legislativo e pelo Executivo.
   ” Estamos diante de fenômenos que vão alterar a formação das famílias do futuro. Como aconteceu com Charles Chaplin,  que teve filhos em idade avançada, homens e mulheres,  hoje , poderão ter vida sexual normal aos 90 anos. Por causa da invenção de novos medicamentos e métodos,  crianças poderão ser geradas por pessoas da terceira idade. Cada vez será maior o número de casais que poderá gerar seus filhos através de bancos de semens e bancos de óvulos “- disse o advogado,  especializado em Direito de Família.
  “A longevidade e a capacidade evolutiva do ser humano devem ser apreciados pelo Direito de Família. Novos termos médicos e fatos relacionados às conquistas de casais que optaram pela inseminação artificial e outras alternativas para terem filhos devem ser observados pelos juristas,  advogados e especialistas.  Na Austrália,  milhares de crianças nascem, atualmente,  de úteros artificiais. O mundo precisa se desenvolver plenamente. E , no Brasil,  os legisladores precisam ficar atento a essas questões” -afirmou Paulo Lins e Silva.
Na foto,  Paulo Lins e Silva com o advogado Pedro Dalbone, durante o Simpósio promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família.
Artigo anteriorPeça ´Enquanto estamos juntos´ estreia com casa lotada no Rio
Próximo artigoTerça-cana – Show de Humores
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.