Bsb Flash

Programação de março destaca atrações online em atenção a novo decreto do GDF

Em respeito ao decreto publicado pelo Governo do Distrito Federal, com medidas de contenção ao  contágio pelo novo coronavírus, o programa CCBB Educativo-Arte e Educação funcionará, exclusivamente, online enquanto durar a restrição. Como já vinha investindo em conteúdos nas plataformas digitais desde o início da pandemia, públicos diversos continuarão contando com uma rica programação para curtir, informar-se e aprender sem ter que deixar a segurança de casa.

Digitalmente,  acontecerão Visitas Online Agendadas (exclusivamente para escolas), o Laboratório de Crítica (“Crítica Antirracista e Decolonial”, com  Luciara Ribeiro), duas edições do curso Transversalidades (“Literatura e escrita reflexiva:  aproximação para formação de educadores”, com Luiza Christov e “Eles vêm chegando: livros informativos na contemporaneidade”, com Ana Paula Campos), Processos Compartilhados (“O pertencimento a um território – A comunicação inclusiva e o acesso à arte como condição para a formação cultural e o desenvolvimento das noções individuais e coletivas de cidadania”, com Bell Machado), Lugar de Criação DigitalMúltiplo Ancestral (“Infâncias plurais na literatura negra: narrativas que nos aproximam dos saberes ancestrais”, com Pretinhas Leitoras), e duas edições de Com a Palavra (“Abraham Palatnik: a reinvenção da pintura, com Yurij Castelfranchi e “Egito Antigo: do Cotidiano à Eternidade”, com Wanderson Flor do Nascimento.

 SUCESSOS DO PROGRAMA CCBB EDUCATIVO ACESSÍVEL PELO SITE

A todo momento, o público também poderá visitar o site www.ccbbeducativo.com  para acessar um vasto acervo de atividades digitais já realizadas. Destaque para Com a Palavra, em que especialistas conduzem visitas por exposições de sucesso que passaram pelo CCBB, a exemplo de Linhas da Vida, de Chiharu Shiota, edições dos cursos Tranversalidades, ambas as atividades com tradução em libras e Pílulas Mediadas às exposições “Egito Antigo- do Cotidiano à Antiguidade”, “Ivan Serpa” e “Alphonse Mucha”. No site estão disponíveis mais de 100 atividades para crianças e famílias e cerca de 200 conteúdos voltados à comunidade escolar, artistas e público em geral. O acervo aborda assuntos transversais entre arte, cultura, educação e contemporaneidade.

 SOBRE O CCBB EDUCATIVO

Mensalmente, o CCBB Educativo – Arte & Educação oferece visitas educativas, cursos, oficinas, encontros e práticas culturais. As atividades dialogam com a programação do CCBB e destinam-se a todos os públicos, com ações inclusivas e afirmativas para estreitar as relações com a comunidade escolar, educadores, pessoas com deficiência, famílias, organizações não-governamentais, movimentos sociais, profissionais dos campos da arte, cultura e interessados.

 Programação completa no site: www.ccbbeducativo.com

 AÇÕES DIGITAIS

VISITAS ONLINE AGENDADAS

Sinopse: Atividades de mediação cultural para escolas e outras instituições em grupos de 10 a 45 pessoas, nos turnos da manhã, tarde e noite.

As visitas mediadas realizadas pelos educadores são sempre pautadas pela conversa em torno de temas relevantes do presente, como as produções artísticas que nos ajudam a compreendê-lo e o patrimônio cultural como forma de construção de nossa identidade, levando em consideração a pluralidade de nossos públicos.

Na modalidade virtual, as visitas acontecem mantendo essa vocação. Acreditamos que é possível manter a intensidade e a potência das conversas, mesmo à distância. A partir de ativações, questões e de uma escuta sempre atenta às experiências do público, os educadores prepararam visitas com temas distintos.

As atividades envolvem o contato com conteúdos das exposições em conversas e exercícios de reflexão e invenção, preparados e acessíveis para pessoas de todas as idades.

Serviço:

Duração: 0h50 ou 1h40. 

Capacidade: grupos de até 45 pessoas, com mínimo de 10 participantes.

Classificação indicativa: a partir de 5 anos. 

Inscrições: www.ccbbeducativo.com/visitas

04/03- LABORATÓRIO DE CRÍTICA- “Crítica Antirracista e Decolonial”, com  Luciara Ribeiro

O que é: Laboratório de crítica e reflexão sobre arte, incluindo a esfera do jornalismo cultural.

Sinopse: Muito já se perguntou sobre o papel da crítica de arte e das escritas que ela proporciona, e não há dúvidas de sua importância. Entretanto, tão necessário quanto pensar essas escritas é analisar quem são as pessoas atrás de suas linhas. Observar o modo como tais agentes integram e participam disso que chamamos de sistema das artes, entendendo-os a partir de suas formações, origens, características e marcadores sociais deve ser um dos caminhos para projetarmos escritas antirracistas, ativistas e decoloniais.

Sobre a convidada: Luciara Ribeiro é educadora, pesquisadora e curadora. Interessa-se por questões relacionadas a descolonização da educação e das artes e pelo estudo das artes não ocidentais, em especial as africanas, afro-brasileiras e ameríndias. É mestra em História da Arte pela Universidade de Salamanca (USAL, Espanha, 2018), onde foi bolsista da Fundación Carolina, e pelo Programa de Pós-Graduação em História da Arte da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2019), onde foi bolsista CAPES. É graduada em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2014) com intercâmbio na Universidade de Salamanca (USAL, Espanha, 2012). É técnica em Museologia pela Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETEC, 2015). Integrou a equipe de curadoria do Instituto Tomie Ohtake. Atualmente é diretora de conteúdo da Diáspora Galeria.

Serviço:

Quinta, às 14h

Duração: 3h

Encontro em formato webinar. 

Vagas: 100

Classificação indicativa: a partir de 16 anos 

Acesso: Evento gratuito. Link para inscrição no www.ccbbeducativo.com

 10/03- TRANSVERSALIDADES  #1 — “Literatura e escrita reflexiva:  aproximação para formação de educadores”, com Luiza Christov

O que é: Curso para professores e educadores, com módulos independentes, que aborda temas transversais aos campos da educação e da arte, conectando as questões presentes nas exposições às urgências e reflexões cotidianas. Ministrado por profissionais convidados de áreas diversas, conta com intérprete de Libras e tem entre seus temas as práticas artísticas, pedagógicas e sociais, a memória, a produção de subjetividades, de territórios e de patrimônios.

Sinopse: Como a Literatura, marcada por complexidade e emocionalidade, presentes na vida humana, apresenta um discurso fértil para processos formativos de educadores, além de ser inspiradora para uma escrita reflexiva.

Sobre a convidada: Luiza Helena da Silva Christov, doutora e mestre em Educação (PUC-SP) e é professora e pesquisadora aposentada do Programa de Pós Graduação em Artes/ Instituto de Artes da UNESP, atuando no mestrado e doutorado. Lidera o grupo de pesquisa Arte e formação de educadores, do CNPq.  Colabora com A Casa Tombada em diferentes projetos coordenando grupos de estudos e ministrando disciplinas em seus cursos de Pós Graduação-especialização. Coordenou a Licenciatura em Ciências Humanas da Faculdade SESI-SP de Educação e o curso de Pós Graduação Lato Sensu em Coordenação Pedagógica. Colaborou com a Fundação Carlos Chagas para pesquisas sobre educação no Brasil. É idealizadora da coleção Coordenadores Pedagógicos – Editora Loyola.  Atuou como colaboradora:  com o Instituto Paulo Freire; com a rede SESI de educação; com diferentes secretarias municipais de educação e com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Foi consultora do Programa Fábrica de Cultura-Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo. Escreve e pesquisa a partir de referências geradas nos seguintes campos: arte e educação; coordenação pedagógica; filosofia; estética e ética; psicologia da educação; conhecimento e formação docente. Realizou estágios de pós doutoramento junto à Universidade de Barcelona (Espanha) e junto ao Teachers College da Universidade de Columbia (EUA).

Serviço:

Quarta-feira, às 19h

Duração: 2h

Encontro em formato webinar. 

Acessível em Libras 

Vagas: 500 

Inscrições: www.ccbbeducativo.com 

Classificação indicativa Livre – indicado para pessoas acima de 16 anos 

Local: redes do CCBB e site do Programa CCBB Educativo – Arte & Educação

 18/03- PROCESSOS COMPARTILHADOS- “O pertencimento a um território – A comunicação inclusiva e o acesso à arte como condição para a formação cultural e o desenvolvimento das noções individuais e coletivas de cidadania”, com Bell Machado

O que é: Voltado para formação de artistas, educadores, críticos, produtores, curadores e demais profissionais do campo da arte e da produção cultural, o curso aborda aspectos dos trabalhos de diferentes áreas da indústria cultural.

Sinopse: Em ressonância a alguns dos objetivos do CCBB, de compartilhar experiências sobre arte e cultura com públicos diversos, este encontro tem o objetivo de trazer novos diálogos sobre o acesso à arte não somente para pessoas com deficiência visual, mas também para pessoas que enxergam, visto que a tradução visual das artes traz, por meio do recurso da audiodescrição, novas formas de percepção da imagem.

Sobre a convidada: Isabel Pitta Ribeiro Machado (Bell Machado) é graduada em Filosofia e Mestre em Multimeios pela Unicamp, com a dissertação sobre Audiodescrição no cinema. Está entre os pioneiros em audiodescrição no Brasil. Diretora na Quesst Consultoria em audiodescrição e acessibilidade cultural, onde atua como roteirista e narradora em projetos de audiodescrição (ao vivo e gravada) em cinema, teatro, museus e turismo. Professora em cursos de formação em audiodescrição. Entre 2013 e 2016 foi assessora e coordenadora de projetos de acessibilidade cultural na Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Campinas (SP).

Serviço:

Quinta-feira, das 14h às 17h horas

Duração: 3h

Encontro em formato webinar. 

Vagas:100

Classificação indicativa: a partir de 16 anos 

Acesso: Evento gratuito. Link para inscrição no www.ccbbeducativo.com

 19/03- LUGAR DE CRIAÇÃO DIGITAL– CAPAS DE PROTEÇÃO

Sinopse: O medo é um sentimento que faz parte da vida de todas as pessoas. Em algum momento da vida, adultos, crianças, idosos, animais e até mesmo as plantas sentem medo de alguma coisa. A proposta da atividade é inspirada em um trabalho da artista brasileira Rivane Neuenschwander, que desde 2015 convida crianças a conversarem sobre seus medos e construírem capas de proteção que as transformam em super-heróis e super-heroínas.  Vamos ver como o medo pode ser traduzido por meio de palavras, desenhos e objetos?

Serviço:
Sexta-feira, às 10 horas (lançamento nas plataformas)

Classificação indicativa: a partir de 3 anos

Local: redes do CCBB e site do Programa CCBB Educativo – Arte & Educação

23/03- COM A PALAVRA– “Abraham Palatnik: a reinvenção da pintura, com Yurij Castelfranchi”

O que é: Visitas mediadas realizadas por especialistas ou profissionais referência em temas diversos. Aborda as exposições a partir de outros campos de conhecimento, assim como múltiplos olhares, modos de conhecer e de se relacionar com a arte.

Sinopse: Passear pelas obras de Abraham Palatnik é se hipnotizar, dançar, pensar junto com o artista. Ele constrói portais sensoriais, onde a pintura também é invenção tecnológica, a escultura é traço, cor e ritmo, e onde movimento e transformação, mesmo quando nada se mexe na obra, estão insinuados como uma inquietação, uma suspeita, na mente. Ele inventa máquinas de fazer ver – e máquinas de fazer sentir – o espaço, o tempo, a matéria, a energia. Ao visitar essas extraordinárias, é possível ver como a ciência, a tecnologia e a arte não apenas se influenciam. São flores diferentes, mas que nascem, incrivelmente, da mesma planta: a ansiedade dos humanos em construir sentidos para o mundo, em pensar como dar ordem e significado a um cosmo que sempre muda, em entender os diferentes, surpreendentes modos de existir de gentes, organismos e coisas.

Sobre o convidado: Yurij Castelfranchi (Roma, 1969) é físico quântico, mestre em jornalismo científico, doutor em sociologia da ciência e da tecnologia. É professor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humans da UFMG. Coordena o coletivo de pesquisa InCiTe (Inovação, Cidadania, Tecnociência) e o curso de pós-graduação da UFMG “Amerek”, sobre comunicação pública da ciência. Gosta de estudar objetos, pessoas, e práticas onde são visíveis os entrelaçamentos entre ciência, tecnologias, formas de expressão e ação social.

Serviço:

Terça-feira, às 10h (lançamento nas plataformas)

Classificação indicativa Livre – indicado para pessoas acima de 10 anos

Local: redes do CCBB e site do CCBB Educativo

Acesso: Evento gratuito

 24/03- TRANSVERSALIDADES  #2— “Eles vêm chegando: livros informativos na contemporaneidade”, com Ana Paula Campos

 O que é: Curso para professores e educadores, com módulos independentes, que aborda temas transversais aos campos da educação e da arte, conectando as questões presentes nas exposições às urgências e reflexões cotidianas. 

Ministrado por profissionais convidados de áreas diversas, conta com intérprete de Libras e tem entre seus temas as práticas artísticas, pedagógicas e sociais, a memória, a produção de subjetividades, de territórios e de patrimônios.

Sinopse: A proposta é conhecer possibilidades e explorar aspectos estéticos e éticos envolvidos na criação e seleção de livros ilustrados não ficcionais para crianças. Como eles se caracterizam? O que os aproxima dos livros infantis ilustrados em geral? Quais recursos de linguagem utilizam? Uma conversa a partir de exemplos escolhidos por sua capacidade de informar e encantar na mesma medida.

Sobre a convidada: Ana Paula Campos nasceu em Porangaba (SP) em 1981. É diretora de arte e sócia-fundadora do Estúdio Voador. Tem mestrado pela FAU-USP sobre design e livros informativos para crianças. É professora na pós-graduação Literatura para crianças e jovens do Instituto Vera Cruz, no curso de especialização em ilustração da EBAC e em cursos livres no Lugar de Ler.

Serviço:
Quarta-feira, às 15 horas

Duração: 2h

Encontro em formato webinar. 

Acessível em Libras

Vagas: 500 

Inscrições: www.ccbbeducativo.com 

Classificação indicativa Livre – indicado para pessoas acima de 16 anos 

Local: redes do CCBB e site do Programa CCBB Educativo – Arte & Educação

  27/03- MÚLTIPLO ANCESTRAL—“Infâncias plurais na literatura negra: narrativas que nos aproximam dos saberes ancestrais”, com Pretinhas Leitoras

 

O que é: O Múltiplo Ancestral são trocas ligadas a diferentes saberes e práticas culturais, articulando a memória e o patrimônio. Alia a tradição oral, o afeto e olhares sobre o patrimônio material e imaterial, fortalecendo a relação do sujeito com a diversidade. Mensalmente, um novo episódio disponível em vídeo sobre saberes ancestrais, contação de histórias, brincadeiras, cantigas e outras manifestações da cultura brasileira.

Sinopse: Discussão inicial sobre a necessidade de protagonistas negras nas histórias contadas na escola e descoberta de livros nas estantes dos participantes que apresentam as narrativas que procuram. Durante a leitura, haverá conversação sobre a importância dessas escritas fazerem parte do cotidiano infantil.

Sobre as convidadas: O projeto Pretinhas Leitoras, criado em 2018 pelas irmãs Helena e Eduarda Ferreira, é uma iniciativa de fomento à leitura, voltada ao letramento crítico-racial entre infâncias que prioriza o protagonismo infantil em diálogo com a territorialidade, reconhecendo os saberes que as crianças possuem e são frutos de suas inferências no tempo e espaço no qual se inserem. Dinamizado em rodas nas quais acontecem leituras de palavras, mundos e muita conversa, os encontros se dão através de forma presencial e/ou cibernética via redes sociais e plataformas midiáticas.

Serviço:

Sábado, às 10h (lançamento nas plataformas)

Classificação indicativa Livre: a partir de 3 anos

Local: redes do CCBB e site do CCBB Educativo

 30/03- COM A PALAVRA–“Egito: do Cotidiano à Eternidade”, com Wanderson Flor do Nascimento

 O que é: Visitas mediadas realizadas por especialistas ou profissionais referência em temas diversos. Aborda as exposições a partir de outros campos de conhecimento, assim como múltiplos olhares, modos de conhecer e de se relacionar com a arte.

Sinopse: O Egito Antigo, ou Kemet, em uma das línguas faladas na antiguidade, é berço de muitas das experiências de pensamento caras ao mundo atual, como as ciências e uma reflexão sofisticada que hoje nomeamos por filosofia. Essas experiências do pensar tematizaram diversas camadas do vivido e a própria relação com o sentido da vida. Nessa fala, serão abordados tópicos do pensamento do Antigo Egito a partir de algumas das peças da exposição que trazem a relação dos egípcios da antiguidade com a morte e a natureza.

 Sobre o convidado: Wanderson Flor do Nascimento é filósofo e professor de filosofias africanas na Universidade de Brasília, onde pesquisa questões vinculadas com o conhecimento a política e a subjetividade. Autor do livro “Entre apostas e heranças: Contornos africanos e afro-brasileiros na Educação e no Ensino de Filosofia no Brasil”.

Serviço:

Terça-feira, às 10h (lançamento nas plataformas)

Classificação indicativa Livre – indicado para pessoas acima de 10 anos

Local: redes do CCBB e site do CCBB Educativo

Acesso: Evento gratuito

 

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Atualizações Recentes

Historiadora Lucília Neves Delgado cobra do governo federal pesquisa sobre vítimas do Covid-19

Historiadora Lucília Neves cobra do governo federal pesquisa sobre o Covid-19. Doutora em Ciências Humanas pela USP, Mestre em Ciência Política pela UFM e historiadora

Grano & Oliva cria combo para o aniversário de Brasília

A capital do país celebra 61 anos no dia 21 de abril. Para festejar a aniversariante do mês, a Grano & Oliva Pizzeria criou um

Vacinação contra o H1N1 contribui no combate à Covid-19

Empresas se empenham para levar imunização a colaboradores e assim desafogar o sistema de saúde. Construtora está entre as que manteve a boa prática neste

Homenagem ao aniversariante Getúlio Vargas

Ex- presidente da Juventude Socialista do PDT, vice-presidente da Fundação Leonel Brizola e porta-voz do Rio Boa Praça, o cientista político Everton Gomes fará homenagens,

%d blogueiros gostam disto: