Carnaval Rio 2020 reuniu mais de 10 milhões de pessoas pela cidade;
2.1 milhões são turistas

O Carnaval Rio 2020 foi de expectativas superadas, com mais de 2.1 milhões de turistas na
cidade, com mais de 10 milhões de pessoas circulando durante o carnaval, maior número
de navios internacionais dos últimos 20 anos atracando no Píer Mauá, ocupação hoteleira
em quase 100%, R$ 4 bilhões em movimentação econômica e um número recorde de dias
de folia. Em janeiro, pesquisas de sites de busca de viagens, como Voopter e Kayak,
apontavam que o Rio era o destino número 1 para o período do carnaval. Agora, com todos
esses números, fica claro que o Rio continua sendo a escolha de turistas nacionais e
estrangeiros para o período. “Fizemos história para o carnaval da nossa cidade, para o nosso povo e para os nossosturistas. Investimos onde a Prefeitura acredita que deve investir. Retiramos o investimento do carnaval que cobra ingressos e investimos no carnaval do povo, que vai à estrada Intendente Magalhães conferir a arte que aquelas escolas têm a mostrar. É ali, são nos blocos, é nos tradicionais bailes da Cinelândia e na Avenida Chile, nos coretos e nos
diversos bailes populares espalhados por toda a cidade que está a essência da festa
carioca. Parabéns a toda a Prefeitura do Rio e a todos que participaram do carnaval da
nossa linda cidade”, comemorou o prefeito Marcelo Crivella.

“O carnaval que acabamos de entregar confirma a capacidade que temos em fazer um
evento tão complexo e tão grandioso. Acho que só o Rio tem isso e acho que só o carioca é
capaz de receber mais de dois milhões de turistas num período tão curto de tempo.
Estamos diante de um grande sucesso! Este foi, sem dúvidas, não só o maior como o
melhor carnaval de todos os tempos. Os números comprovam a preferência dos turistas
pela nossa cidade. E somos gratos a isso. Trabalhamos muito para recebê-los bem e
entendemos a importância do turismo para o Rio. A movimentação na economia local e o
retorno financeiro para a cidade confirmam que o turismo é o negócio do nosso Rio de
Janeiro”, afirmou Marcelo Alves, presidente da Riotur.

A Riotur este ano investiu em três pesquisas: Sambódromo, blocos de rua e quatro
unidades dos postos de informações turísticas (Galeão, Copacabana, Santos Dumont e
Rodoviária Novo Rio), foram os locais onde as pesquisas foram aplicadas. Com as
pesquisas, a Riotur consegue traçar o perfil do visitante e morador que curtiu o Carnaval

Rio
2020 e, também, saber a avaliação e recomendação com relação à cidade.
RIO É APROVADO POR TURISTAS

Dados da pesquisa
A Riotur realizou uma pesquisa nos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial na
Marquês de Sapucaí, de setores com preços não populares, entre os dias 22 e 24 de
fevereiro. Do total, 12,4% eram turistas estrangeiros; 55,6% turistas nacionais; 32%
moradores da região metropolitana do Rio de Janeiro. O público, 55,6% do gênero
masculino e 44,4% do feminino, tem, a maioria, entre 32 e 38 anos (22,1%).
Dentre os estrangeiros, lideraram os argentinos (19,2%), os norte-americanos (17,3%) e os ingleses (9,6%). Uma característica do viajante estrangeiro é que 44,6% viaja com amigos; 26,8% com a família; 12,5% sozinho e 16,1% com companheiro (a). A divisão por modal de chegada fica em 93,1% (avião), 3,4% (navio), 1,8% (carro) e 1,7% (ônibus). Já quanto a hospedagem: 44,6% fica em hotel; 16,1% fica em casa ou apartamento alugado; 12,5% fica em casa de parentes; 8,9% fica em apart hotel/flat; 7,1% fica em AirBnb; 5,4% em outros locais; 3,6% em albergue e 1,8% em pousada. A permanência na cidade é em 12,2 dias em média.

A pesquisa revela que, entre os turistas estrangeiros, 92,9% considera que a visita
correspondeu ou superou a expectativa; 97,2% recomendaria a alguém que conhecesse a
cidade do Rio; 92,9% pretende retornar à cidade.

No ranking brasileiro, os turistas de São Paulo são maioria com 31,7%. Rio Grande do Sul
vem em seguida com 9,7% e Minas Gerais com 9%. Desse total, 38,3% viaja com os
amigos; 37,3% com a família; 11,9% sozinho; 11,4% com companheiro (a) e 1% com
excursão. A divisão por modal fica em 78,1% (avião), 10,9% (carro), 9% (ônibus) e 2%
(van). Quanto a hospedagem: 46,5% fica em hotel; 19,4% fica em casa ou apartamento
alugado; 15,3% fica em casa de parentes; 6,9% fica em outro local; 6,3% fica em AirBnb;
4,9% em apart hotel/flat e 0,7% em albergue. A permanência na cidade é de 7,5 dias em
média. A pesquisa revela que, entre os turistas nacionais, 92,4% considera que a visita
correspondeu ou superou a expectativa; 96,4% recomendaria a alguém que conhecesse a
cidade do Rio; 98,6% pretende retornar à cidade.

A Riotur também realizou uma pesquisa nos blocos de rua, apurando que 0,9% do público
presente nos cortejos eram turistas estrangeiros, 14,4% turistas nacionais e 84,7% cariocas.

Entre os turistas estrangeiros, 75% eram mulheres de 32 a 38 anos vindas do Chile,
Inglaterra, Portugal e Espanha, 25% cada. Já o perfil dos turistas nacionais, também
majoritariamente formado por mulheres (54,1%), de 32 a 38 anos, mostra que ele vêm
70,6% da região sudeste, 18% do sul, 6,5% do centro oeste e 6,5% do nordeste. A média
de permanência na cidade é de 6,4 dias.

Ocupação hoteleira
De acordo com a última pesquisa divulgada pela Hotéis Rio, a ocupação hoteleira da cidade
ficou na média de 93%, tendo regiões chegado a quase 100%. O Che Lagarto Hostel e CLH
Suites, por exemplo, atingiram 100% de quartos ocupados com boa tarifa.
O SindRio, Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio, diz que teve um incremento
no crescimento de faturamento para o período de carnaval de 5%, podendo chegar a 15%
nos estabelecimento da orla, em relação ao ano anterior, tudo isso impulsionado pelos
turistas.

Entre os dias 22 a 25 de fevereiro, a média da ocupação hoteleira na cidade atingiu 93%.
Algumas regiões chegaram perto dos 100%, como Flamengo/Botafogo com 98%;
Leme/Copacabana com 97% e Ipanema/Leblon com 96%. A região do Centro bateu 92% e
São Conrado/Barra 87%.

As mesmas regiões, quando comparadas com o mesmo período no ano passado, tiveram
Flamengo/Botafogo com 98%; Leme/Copacabana com 90% e Ipanema/Leblon com 95%. A
região do Centro teve 88% e São Conrado/Barra com 89%. A média, portanto, havia sido de 90,66%.

Turismo é a solução
O Rio de Janeiro recebeu a melhor temporada de navios internacionais dos últimos 20
anos. De outubro de 2019 até abril de 2020 serão, no total, 112 atracações, 37 navios,
sendo 27 internacionais e 10 nacionais. Oito deles estão vindo ao Rio de Janeiro pela
primeira vez. Na última temporada (2018/2019), o Píer Mauá recebeu 100 atracações, com
a média de 380 mil turistas, entre passageiros e tripulantes. Para esta temporada, houve um aumento de 12 atracações e 10 navios.

Com isso, a previsão de turistas no embarque, desembarque e trânsito passou de 380 mil para 425 mil, o que representa um aumento de 12% em relação à temporada anterior. O número de navios internacionais também aumentou passando de 19 para 27. Na sexta e sábado pós-carnaval (28 e 29 de fevereiro), o Píer Mauá recebeu os navios Sovereign e MSC Fantasia, respectivamente, que, juntos, trouxeram 10 mil turistas.

A Riotur ouviu os turistas em unidades dos postos de informações da empresa de turismo
na cidade (Aeroporto Santos Dumont, Aeroporto do Galeão, Rodoviária e Praia de
Copacabana). Entre os estrangeiros, a permanência média na cidade é de 7 dias e gasto
durante a estada de R$ 4.066,67, divididos por duas pessoas. Com idades principalmente
entre 32 e 40 anos, os estrangeiros são argentinos, seguidos dos franceses, chilenos,
alemães e norte-americanos, para citar alguns.

Já entre os turistas nacionais, a permanência média é de 6 dias, com gasto de R$ 3.033,33, divididos por 3 pessoas. Com faixa etária semelhante a dos estrangeiros, os turistas nacionais vêm de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Distrito Federal, citando apenas alguns.

Turismo em solo carioca
No Carnaval Rio 2020, o aeroporto Santos Dumont registrou um crescimento de 54% em
relação ao mesmo período do ano passado. Já a Rodoviária Novo Rio constatou a chegada
de 520 mil pessoas em 18 mil ônibus, sendo 5520 extras. Os números confirmam a alta do
turismo no Rio. E essa constatação é desde o réveillon, que recebeu 1.7 milhão de turistas
e que, agora, os números dos equipamentos turísticos da cidade ratificam. Em relação ao
mesmo período de 2019, o Trem do Corcovado apontou um aumento de 12%; o Pão de
Açúcar, um aumento de 3%; o CCBB, somente em janeiro deste ano, recebeu cerca de 600
mil pessoas; o Museu do Amanhã recebeu, só em janeiro de 2020, mais de 100 mil
pessoas.

Em 2019, o museu recebeu cerca de 800 mil pessoas, 9% a mais que em 2018. O
AquaRio já contabiliza mais de 3,4 milhões de visitantes desde sua inauguração no fim de
2016. O Museu de Arte do Rio já contabiliza mais de 3 milhões de visitantes desde sua
inauguração. A RioStar, novo ponto turístico da cidade, inaugurado no fim de 2019, já
recebeu mais de 200 mil visitantes, média de 3 mil pessoas por dia.

Sambóbromo
Levando em consideração a readequação da capacidade do Sambódromo, foram vendidos
os 61 mil ingressos autorizados para a venda nos dias de desfile do Grupo Especial, que
aconteceram no domingo (23), segunda (24) e sábado das campeãs (29). Já para os
desfiles da Série A, cerca de 75 mil pessoas assistiram os desfiles que ocorreram na sexta
(21) e no sábado (22). Além disso, 300 ingressos foram distribuídos para o setor dedicado à pessoa com deficiência por dia, sendo 150 para deficientes e 150 para acompanhantes.
Sem contar as 15 mil pessoas que foram prestigiar os desfiles das escolas mirins com
entrada gratuita na terça de carnaval.

A obra grandiosa para melhoria da infraestrutura, iluminação e segurança foi orçada em R$
8,1 milhões e teve o investimento do Ministério do Turismo. Todo o processo aconteceu
dentro do cronograma estabelecido pelo Ministério Público e homologado no Tribunal de
Justiça do Rio de Janeiro, tendo todas as exigências devidamente cumpridas. Foram três
meses de trabalho envolvendo cerca de 200 funcionários de três empresas públicas da
Prefeitura do Rio – Riotur, Rioluz e RioUrbe.

A pesquisa da Riotur feita com espectadores dos desfiles da Sapucaí apontou que a maioria
aprovou as obras realizadas no equipamento. A nota, entre os turistas nacionais, foi de 7,4
e 56,5% avaliaram a reforma, sendo que 43,9% considerou como boa reforma e 22% como ótima. Já entre os estrangeiros, a nota foi de 8,4. 60,7% visitaram o Sambódromo pela primeira vez e 32,2% avaliaram a reforma, sendo que 55,5% avaliou como boa a reforma e 38,9% como ótima. Para os moradores da região metropolitana do Rio, a nota foi de 7,6. 75,8% avaliou a reforma, sendo que 38,7% avaliou considerou como boa reforma e 28,3% como ótima.

Carnaval de rua
As ruas da cidade ficaram repletas de foliões durante os 50 dias de folia. Cerca de 7
milhões de pessoas aproveitaram os desfiles em todas as zonas da cidade. O Carnaval de
Rua, que começou com organização por meio de um sistema de inscrição completamente
online e pela aproximação do poder público com as associações de moradores, foi marcado
também pelo grande público nos blocos e pelo ordenamento nas ruas com um grande
operação de órgãos municipais. Abaixo alguns destaques de público.
Fervo da LUD – 1 milhão
Cordão do Bola Preta – 630 mil
Bangaladumenga – 500 mil
Areia do Leblon – 385 mil
Bloco da Anitta – 370 mil
Sargento Pimenta – 340 mil
Bloco da Preta – 320 mil
Simpatia É Quase Amor – 320 mil
Monobloco – 145 mil
Banda de Ipanema – 130 mil
Carnaval Square – 120 mil
Carrossel de Emoções – 115 mil
Chora Me Liga – 110 mil

Intendente Magalhães
Na Intendente Magalhães, cerca de 50 desfiles entre escolas de samba e blocos de enredo
totalizaram 160 mil pessoas. O Carnaval do Povo recebeu repasses da Prefeitura do Rio no
valor de R$ 3 milhões para as seis agremiações filiadas oficialmente à LIESB.
No sábado (22), mesmo com a chuva, cerca de 15 mil pessoas se reuniram para assistir os
desfiles dos Blocos de Enredo dos Grupos B e C. Na segunda (24), cerca de 35 mil pessoas
assistiram as escolas que desfilaram em Campinho. No domingo (23), o público presente
também foi de cerca de 35 mil pessoas. Na terça (25), noite especial na Intendente, afinal a escola campeã retorna à Marquês de Sapucaí no ano seguinte para Série A, o público
bateu recorde com 40 mil pessoas. No sábado (29), as campeãs desfilaram novamente
assim como ocorreu na Sapucaí. Mesmo debaixo de chuva, 15 mil pessoas prestigiaram as
escolas campeãs.

Cinelândia, Avenida Chile e Coretos
Desde 1990, a Riotur promove também o Baile da Cinelândia, um dos mais tradicionais
eventos do Carnaval de rua da cidade. Em quatro dias de baile, a praça Floriano recebeu 42 mil pessoas, sendo terça-feira (25) o dia mais cheio com 18 mil foliões.

O Centro do Rio também recebeu os Blocos de Embalo e Blocos de Enredo do Grupo I que
desfilaram na Avenida Chile do sábado de carnaval (22/2) até a terça-feira (25/2),
referenciando o carnaval nos moldes antigos, e recebeu 38 mil pessoas, sendo
segunda-feira o dia mais cheio com 12 mil foliões.

Além disso, três coretos localizados em Pedra de Guaratiba, Magalhães Bastos e Senador
Camará animaram 1800 foliões em três dias de folia.

Terreirão do samba
O Terreirão do Samba, na Praça XI, foi reaberto com shows de grandes artistas durante o
Carnaval Rio 2020. Durante oito dias de festas, durante e após o carnaval, o espaço
recebeu mais de 28 mil pessoas em oito dias de shows.

Vale lembrar que o local estava sob responsabilidade da Secretaria de Cultura e, em 3 de
outubro de 2019, voltou à administração da Riotur. Para o Carnaval, uma seleção pública
garantiu a operação do local para uma empresa privada mantendo uma programação ativa
no período. Após o carnaval será dada continuidade ao projeto de transformação do
Terreirão do Samba em um centro cultural destinado ao samba com investimento da
iniciativa privada.

Carnaval nas redes da Riotur
No Carnaval Rio 2020, a equipe da Riotur realizou uma ampla cobertura nas redes sociais.
Diversos eventos foram acompanhados de perto e disponibilizados em tempo real no
Twitter, Facebook, Instagram. Além disso, no banco de imagens da Riotur, no Flickr, há
milhares de imagens da cobertura do Maior Espetáculo da Terra, que inclui blocos de rua
em diferentes áreas da cidade, desfiles na Marquês de Sapucaí e na Arena Intendente
Magalhães, baile da Cinelândia.

No Facebook tivemos um total de 94 posts com um alcance de 276.865 pessoas. Já no
Instagram, apenas no Feed, foram 72 posts com um alcance de 603.232 e 664.026
impressões. Publicamos ainda 343 stories no Instagram, que, juntos, totalizaram 411.807
visualizações. No Twitter foram 203 postagens e um total de 585.664 impressões. Quanto
às fotos no Flickr, disponibilizamos 5.513 imagens que contaram com 9.293 em 36 álbuns.
Em relação ao Carnaval 2019, houve um crescimento de 14% nas redes da Riotur.
A hashtag #vemprorio, usada para a divulgação da nossa Cidade Maravilhosa, é um grande
sucesso. Durante o período de 12 de janeiro a 1º de março, a tag totalizou um alcance de
3.529.401 no Twitter; foram 5.226 interações. A geração de likes provenientes da hashtag é de 4.541. No Instagram, a tag já possui mais de 159 mil publicações de usuários.

Operação de carnaval
A Secretaria de Eventos atuou em todos os blocos, megablocos, palcos de carnaval de rua
(ao todo 77, em vários bairros da cidade), além do Sambódromo e da Intendente
Magalhães, sendo responsável pela integração dos órgãos municipais e estaduais
envolvidos na Operação de Carnaval.

Durante todo o mês de fevereiro foram realizadas cerca de 50 reuniões de planejamento,
onde eram feitas análises bloco a bloco. Pela primeira vez foi montado o Comitê
Operacional de Carnaval, o COCAR, na sala de crise do COR, nos moldes da Copa do
Mundo e da Olimpíada. Era lá que as principais decisões eram tomadas, pois os integrantes
acompanhavam em tempo real as imagens dos blocos, transmitidas através das câmeras
da CET-Rio, do mochilink e de dois drones.

“Sem dúvida, o grande destaque deste carnaval foi a integração de todos os órgãos, que
planejaram suas ações e seguiram tudo o que foi conversado nas reuniões, entregando um
carnaval alegre, organizado e, principalmente, seguro para cariocas e turistas. Posso dizer,
sem sombra de dúvidas, de que o Carnaval 2020 foi o maior da história”, afirmou Felipe
Michel, secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos.

Outra novidade foram as 24 barreiras de segurança instaladas nos megablocos do Centro.
Em cada uma delas, PMs e Guardas Municipais atuavam, impedindo a entrada de
ambulantes não autorizados, garrafas de vidro e outros objetos proibidos.
Duzentos e cinquenta idosos que se inscreveram no programa Empregabilidade
trabalharam durante o carnaval, nos camarotes do Sambódromo e em outros eventos.
Blocos não autorizados.

A Secretaria de Eventos acompanhou todos os blocos não autorizados que desfilaram pela
cidade, fazendo registros e levantando os dados dos organizadores. Do dia 21 até o dia 25
de fevereiro, foram contabilizados 163.

Mais números de outras frentes de trabalho
O carnaval foi um sucesso também na atuação da Prefeitura em outros segmentos da festa. Confira o balanço de cada órgão municipal que trabalhou durante a folia:

Comlurb
Foram 709 toneladas de lixo recolhidas em todo o carnaval: 332,5 toneladas nos seis dias
de desfiles na Marquês de Sapucaí; 119,4 toneladas nos blocos; 81,4 toneladas nos
desfiles da Intendente Magalhães; e 176 toneladas nos bailes populares em ruas de
diversos bairros (Cacuia, na Ilha do Governador, Dias da Cruz, no Méier, Largo do Bicão, na Vila da Penha, e República do Chile, no Centro).

Do total de resíduos retirados do Sambódromo, 258,1 toneladas foram na parte interna e
62,8 toneladas na parte externa e no entorno, incluindo Terreirão do Samba, com 11,6
toneladas de materiais potencialmente recicláveis, que serão entregues a cooperativas de
catadores credenciadas. A equipe operacional trabalhou com até 655 garis por dia, 1000
contêineres e 60 veículos, dentro e fora da Passarela do Samba. Nos blocos, foram
utilizados até 1.180 garis por dia, 3.800 contêineres e 57 caminhões.

Nos 77 bailes populares, durante os quatro dias de carnaval, até 450 garis fizeram o serviço diariamente, com colocação de 250 contêineres. Já na Intendente Magalhães atuaram, desde o início da Folia de Momo, 60 garis/dia, com 70 contêineres e 20 veículos.
Em relação a multas, desde o pré-carnaval foram aplicadas 1.114. A maioria delas (1.050)
para pessoas flagradas urinando em via pública (R$ 607,54 cada), e outras 64 por descarte
de pequenos resíduos jogados no chão (R$ 221,75 cada).

Saúde
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) fez mais de 2,5 mil atendimentos em 50 dias de
folia na Sapucaí e nos blocos de rua. Durante as seis noites de desfiles na Marquês de
Sapucaí e a apuração dos resultados na quarta-feira de cinzas, os postos médicos da SMS
atenderam 1.812 pessoas , com 89 remoções de pacientes para unidades da rede pública.
O posto de vacinação contra o sarampo, montado no setor 7, uma novidade na Sapucaí
este ano, vacinou 907 pessoas nas quatro noites de funcionamento. Nos blocos, os postos
da SMS somaram 849 atendimentos nos 50 dias de carnaval, com 120 remoções.
Vigilância Sanitária Durante toda a Operação Carnaval, de 8 de janeiro à madrugada de domingo, 1º de março, a Vigilância Sanitária municipal fez quase duas mil inspeções (1.985), aplicou 732 infrações, coletou 181 amostras de alimentos para análise e emitiu 846 licenças para eventos (347 delas para a Sapucaí). Em relação a atividades educativas, foram cerca de 15 mil interações, com a distribuição de 12 mil folhetos, mais de 5 mil nas prévias e quase 7 mil no estande no Setor 7 do Sambódromo.

Na primeira fase da operação, até 20 de fevereiro, as equipes percorreram cerca de 20
bairros e fiscalizaram 21 blocos e 1.554 estabelecimentos (bares, hotéis, restaurantes,
estúdios de tatuagem, salões de beleza e outros). Foram aplicadas 585 multas (a maioria,
por falta de higiene e ausência de licença sanitária), emitidas 448 intimações e feitas 49
interdições, além de 116 coletas de alimentos para análise. A partir de 21 de fevereiro, o
trabalho dos fiscais foi concentrado na área do Sambódromo e em mais 84 blocos, com 431
inspeções, que resultaram em 135 infrações.

SEOP
A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) fez 80 ações integradas de ordenamento
em pontos de folia (megablocos e Sambódromo), além das ações da Guarda Municipal.
Cada uma contou com 20 a 40 agentes dos órgãos municipais de fiscalização, vigilância
sanitária, limpeza, conservação e assistência social, com apoio da Polícia Militar. No total,
as operações integradas apreenderam 5.951 itens irregulares, como garrafas de vidro,
peças de vestuário, botijões de gás, entre outros. Já no combate ao estacionamento
irregular, 2.669 veículos foram removidos por reboques (658 em pontos de folia). A
Coordenadoria de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques atuou com 40 reboques
em áreas estratégicas, como Rodoviária Novo Rio, Aeroporto Santos Dumont e zonas de
bloqueio.

CET-Rio
O monitoramento do trânsito durante o período de folia foi feito por intermédio de mais de
600 câmeras. A CET-Rio utilizou 43 motocicletas, 30 reboques, 28 veículos operacionais, e
360 operadores de trânsito por dia. Houve bloqueios em 300 ruas para desfiles no
Sambódromo ou em blocos e deslocamento de carros alegóricos. Foram emitidas 770
mensagens nos painéis de mensagens variáveis durante o carnaval, para orientação dos
motoristas.

Guarda Municipal
Durante a Operação Carnaval 2020, seis mil guardas municipais trabalharam nos desfiles
de blocos e 3.150, no Sambódromo. A Guarda Municipal do Rio atuou em 16 ocorrências,
com a prisão de 15 suspeitos de furto, lesão corporal e tráfico de drogas, além de casos de
desacato, desobediência, injúria racial e de auxílio a vítima de assalto. O Núcleo de
Videopatrulhamento realizou 95 ações preventivas de controle de delitos, por meio do
monitoramento das câmeras da prefeitura, o que resultou na prisão de quatro suspeitos de
furto na orla da Zona Sul. A fiscalização de trânsito resultou na aplicação de 5.029 multas
(331 registradas pelo Serviço de Videofiscalização, por meio de câmeras). Uma equipe com
dez motociclistas de trânsito fez a escolta diária e noturna dos carros alegóricos de 32
escolas de samba, acompanhando o deslocamento da Cidade do Samba para a Marquês
de Sapucaí.

Fazenda
Desde o início do carnaval, a Coordenadoria de Controle Urbano (CCU) apreendeu 14.739
itens irregulares, como botijões de gás e bebidas alcoólicas em garrafas de vidro, artigo
proibido por lei nos blocos de carnaval. As ações alcançaram mais de 40 blocos na cidade.
Foram apreendidos 1.179 kg de alimentos perecíveis e 19 credenciais utilizadas por
promotores de venda não cadastrados. A Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização
(CLF) atuou nos principais blocos do Centro, Zona Sul e Zona Oeste. O foco foi na
fiscalização de publicidade não autorizada e de marketing de emboscada, que ocorre
quando empresas fazem ações promocionais sem autorização, valendo-se das
aglomerações dos blocos. Ao todo, 161 blocos foram fiscalizados. A CLF também vistoriou
os quiosques da orla, estabelecimentos comerciais e camarotes do Sambódromo.

Transportes
Em seis dias de ações, de sexta até terça-feira de carnaval e no Sábado das Campeãs, os
fiscais da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) abordaram 610 veículos, lacraram
33 deles e aplicaram 306 multas, por diversas irregularidades. Entre elas, falta de uso do
cinto de segurança, estacionamento irregular e utilização de celular ao volante.

Procon Carioca
Em todo o carnaval, o Procon Carioca fez 140 fiscalizações e notificou sete
estabelecimentos. Na maioria dos casos, a irregularidade era falta do alvará de
funcionamento e de certificados do Corpo de Bombeiros e de dedetização. Os notificados
receberam prazo de dez dias para apresentar a defesa ao Procon Carioca. e tentar evitar a
multa.

Assistência Social
A equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos contou com 350
profissionais nos trabalhos durante o carnaval, em blocos e também nos desfiles no
Sambódromo. Foram distribuídas 5.670 pulseiras de identificação para menores. No total de abordagens exitosas (distribuição de material de divulgação de campanhas de prevenção e enfrentamento a violação de direitos), 17.494 ações.