Saúde bucal em dia pode evitar contágio de Covid

Higiene, ações de prevenção e consultas periódicas são fundamentais na pandemia

A negligência quanto à saúde bucal é responsável por causar doenças não apenas nos dentes e na boca, mas afetar também o restante do corpo. Diante disso, pesquisadores destacam que o simples fato de manter atenção constante na higienização da boca já ajuda a prevenir possíveis agravamentos, principalmente em caso de Covid-19.

A limpeza dos dentes e da língua de forma correta são o suficiente para evitar o acúmulo de bactérias que agem contra dentes e gengivas. “A escovação é uma das principais formas de manter a saúde bucal. Eliminar a placa bacteriana é a ação mais efetiva contra as cáries e inflamações gengivais e pode ser feita usando escova e fio dental após cada refeição”, explica a cirurgiã-dentista, Angélica Siqueira.

A pandemia causada pela Covid-19 provocou mudanças em diversas áreas da saúde e a odontologia é uma delas. Isso porque o isolamento social se faz necessário para evitar o contágio e, como consequência disso, houve um esvaziamento dos consultórios odontológicos. No entanto, uma pesquisa realizada em março pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) apontou que a má conservação dos dentes pode provocar o agravamento no caso de uma contaminação, uma vez que a boca se torna um ambiente mais propício à ação do vírus.

“Pessoas com infecção gengival, presença de placas bacterianas e tártaros são indivíduos que têm uma predisposição maior para a doença, visto que a boca é porta de entrada para o organismo. Ou seja, quanto mais presença de micro-organismos que causam o desequilíbrio da flora bucal, maior a chance de desenvolver doenças, seja Covid ou outras alterações, tais como pulmonares, cardiopatias”, adverte. Isso porque essas bactérias, fungos ou vírus caem na corrente sanguínea alcançando outros órgãos do corpo humano.

Os cuidados precisam ser redobrados com aqueles que já foram infectados pelo vírus. Uma cavidade bucal higienizada e limpa reduz bastante a quantidade de micro-organismos presentes na cavidade oral, além de servir como barreira protetora entre o meio exterior com o interior. “Além de manter uma higienização adequada, escovando sempre após as refeições e usando o fio dental, é importante também fazer uso do enxaguante bucal”, orienta. Para pacientes que tiveram a perda do paladar recomenda-se a diminuição de alimentos ácidos, diminuição de alimentos mais apimentados e, claro, acompanhamento odontológico, para tratamentos específicos para estimular o retorno do paladar”, destaca.

Outro fator que merece atenção é a questão do bruxismo. Pesquisas apontam que a pandemia teria mais do que triplicado os casos, indo de 8% para 28%. “A explicação é que estresses e ansiedades aumentaram, por isso a necessidade de buscar os consultórios odontológicos”, ressalta.

Vinkmag ad

Redação

Read Previous

Mudanças de hábitos durante a pandemia refletem na saúde cardiovascular

Leia a seguir

Contratação de profissionais acima de 50 anos deve se tornar cada vez mais comum

setembro 24, 2021