Sistema B é tema de debate on-line e gratuito

Facop promove encontro pelo YouTube com o colíder da Comunidade B Paraná, Paulo Cruz Filho, sobre a missão do Sistema B frente aos desafios do século XXI

Como as empresas podem contribuir para pautas fundamentais como a preservação do meio ambiente e o enfrentamento aos problemas sociais? Uma das respostas para essa pergunta é o Sistema B, um movimento global que dissemina o desenvolvimento sustentável por meio do compromisso de empresas a serem melhores para o mundo. Dentro desse sistema estão as comunidades B, que trabalham para a construção e fortalecimento do ecossistema B para uma nova economia – mais inclusiva e sustentável. Atualmente, são mais de 3,6 mil empresas que fazem parte do Sistema B, sendo 186 no Brasil e quatro empresas B, além de duas pendentes – ou seja, em seu primeiro ano de atuação – no Paraná.

O colíder da Comunidade B Paraná, Paulo Cruz Filho, explica que esse movimento reúne empresas que criam uma rede mundial focada em impacto. “Empresas com práticas incorporadas no modelo de negócio que atuam com impacto social, pensando na comunidade local, nos colaboradores e no meio ambiente. Organizações que estão interessada em entender melhor seu propósito e como fazer negócios gerando um impacto positivo, assumindo a responsabilidade pelos efeitos que elas geram e fazendo algo em relação a isso”, afirma.

Quem tiver interesse em saber como fazer parte dessa comunidade, quais as vantagens para a empresa, para o meio ambiente e para a sociedade, a Facop (Fundação de Asseio e Conservação, Serviços Especializados e Facilities) promove, na próxima quinta-feira, 3 de dezembro, às 11h, um encontro com Paulo Cruz Filho. O evento é gratuito e transmitido ao vivo no canal do Youtube da Facop (facop.oficial). “Falaremos sobre o Sistema B e a ferramenta que ele traz para colocar na prática tudo o que se relaciona ao impacto social das organizações”, adianta o colíder do movimento.

O encontro encerra um ano de discussões levantadas pela Facop sobre Responsabilidade Social Empresarial. Para a superintendente executiva da Facop, Cássia Almeida, “o objetivo das discussões é promover a sustentabilidade, a integridade, o compliance e os impactos na cadeia de valor sem perder o olhar para o lucro, tão necessário para as empresas. É importante reconhecer que os negócios têm impacto na sociedade, no meio ambiente e em toda a cadeia em que estão inseridos, assim como nos resultados financeiros e na própria perenidade. Por exemplo, empresas que adotam as práticas de desenvolvimento sustentável precisam exigir que seus fornecedores também o façam, caso contrário seu resultado final de entrega ao cliente não estará de acordo com a postura que pregam”.

Serviço

Encontro Facop sobre Responsabilidade Social Empresarial: Sistema B, com Paulo Cruz Filho

3 de dezembro de 2020, às 11h, no Youtube da Facop (facop.oficial)

Evento on-line e gratuito

Artigo anteriorHomenagem a Theophilo de Azeredo Santos
Próximo artigoBK’, Bivolt, Djonga e Matuê estão entre os finalistas do Prêmio Nacional RAP TV
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.