Bsb Flash

Steve McQueen – The king of cool

Referência no cinema, nas artes e na cultura pop, Steve McQueen ganha importante retrospectiva online no CCBB a partir de 16 de março

No dia 24 de março Steve McQueen completaria 91 anos. E para comemorar, o Centro Cultural Banco do Brasil Brasília inaugura uma série de atividades on line, de 16 a 22 de março, dentro da mostra Steve McQueen – The king of cool. O evento abaliza a trajetória de um dos principais fenômenos da indústria cinematográfica de todos os tempos, influenciando uma leva de atores e também artistas da música e da animação. Sob curadoria do jornalista, crítico e diretor de cinema Mario Abbade e produção da BLG Entretenimento, a mostra contará com produções, entre filmes e documentários, sobre o astro. Será uma forma de lembrar o imenso legado do ator, já que ano passado não foi possível comemorar seus 90 anos com a mostra. Serão exibidos os filmes com recursos de acessibilidade:

“A Bolha Assassina” e “Fugindo do Inferno”, além de uma Live com o crítico Ricardo Largman e a Aula Magna Steve McQueen – O Arquétipo do anti-herói de poucas palavras. Todas as atividades serão gratuitas e o projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil. A mostra passa também pelos CCBBs Rio de Janeiro e São Paulo. Com a futura retomada das atividades presenciais do CCBB Brasília, a programação completa será divulgada.

Apelidado de ‘The king of cool’ (em português seria algo como ‘rei dos descolados’), Steve McQueen (24/03/1930 – 07/11/1980) é lembrado por seus personagens icônicos e seu estilo único. O ator ficou marcado por papéis de anti-heróis no cinema, como o ladrão de luxo Thomas Crown, o policial Frank Bullitt e o jogador de poker Cincinnati Kid. Desta forma, virou uma espécie de símbolo da contracultura nos Estados Unidos, em oposição aos mocinhos tradicionais do cinema. O talento de McQueen, porém, não se limitava a atuar: ele foi um grande ícone da moda masculina que influenciou milhões de homens ao longo de décadas.

Segundo o curador, a mostra Steve McQueen – The king of cool serve tanto ao estudo da arte cênica quanto à análise de um fenômeno da cultura. “O ator faz parte de uma linhagem de nomes que constituem marcos da arte dramática, e é preciso que a sua filmografia seja observada e analisada sob essa perspectiva”, avalia Mário Abbade. Nomes do cinema como Colin Farrell, Kevin Costner, Pierce Brosnan e Bruce Willis o apontam como herói e inspiração para se tornarem atores. A lista de citações sobre McQueen vai longe: inclui o longa de Quentin Tarantino  ”Era uma Vez em Hollywood”, a animação “Os Simpsons” e o seriado “House”. O ator foi citado em listas de importantes revistas como a Premiere e a Empire como uma das maiores estrelas do cinema de todos os tempos. “McQueen era um ícone tão forte que se sentiu à vontade para dizer não a diretores como Coppola, Spielberg e Milos Forman, recusando convites milionários e papéis com que outros profissionais sonhavam, como os de Apocalypse Now e Um estranho no ninho”, diz Abbade.

O reflexo da influência de Steve McQueen na cultura também pode ser medido no mundo da música. Os Rolling Stones falam dele em “Star star”. Sheryl Crow compôs a canção “Steve McQueen” homenageando o ator. Outra letra em tributo ao king of cool, que também leva seu nome, é a da banda Drive-By Truckers, que anuncia o que ele significou para muita gente: “Quando eu era menino, eu queria crescer para ser Steve McQueen”, diz a letra. McQueen também é citado em músicas de artistas consagrados como Leonard Cohen, R.E.M., Beastie Boys, Blur, Boy George e Elton John, entre muitos outros, e deu nome a um disco da banda Prefab Sprout. Pegando carona na área musical, a mostra garimpou as músicas dos filmes estrelados pelo astro em uma playlist no app spotify (link de acesso: encurtador.com.br/bosIL).

PROGRAMAÇÃO ON LINE

16 a 22 de março

Proporcionar ao público uma maior proximidade com o ícone Steve McQueen é uma das premissas da mostra que terá as seguintes atividades de forma virtual: aula magna com o tema “Steve McQueen – O Arquétipo do Anti-Herói de Poucas Palavras”, com o curador Mario Abbade e o ator Eriberto Leão; e a exibição de dois filmes com recursos de acessibilidade: audiodescrição, legenda descritiva e interpretação em Libras, com acesso gratuito pela plataforma Wurlak.com.  A programação contará também com live mediada por Abbade e playlist com as trilhas sonoras dos filmes estrelados por McQueen.

 

FILMES COM RECURSOS DE ACESSIBILIDADE: A BOLHA ASSASSINA E FUGINDO DO INFERNO

16 a 22 de março, às 13h.

“A bolha assassina”, primeiro trabalho de Steve McQueen no cinema, e “Fugindo do inferno”, um dos filmes mais famosos do ator, serão disponibilizados na plataforma de streaming Wurlak com os 3 recursos de acessibilidade juntos: Interpretação em Libras, Legenda Descritiva e Audiodescrição. O acesso é gratuito via plataforma Wurlak.com.

Os interessados deverão se cadastrar, sem custo, para poder conferir os filmes.

OBS.: Aqueles que optarem por assistir via smartphone ou tablet, o recomendado é que faça download do aplicativo do serviço de streaming, que está disponível nas versões para IOS e Android.

A bolha assassina (The blob), de Irvin S. Yeaworth Jr. e Russell S. Doughten Jr. (1958) 86 min

Sinopse: Quando um enorme meteoro cai na terra, o jovem Steve Andrews resolve ver o que aconteceu e descobre que no local da queda está crescendo uma substância gosmenta e rosa. Logo, pessoas começam a desaparecer e a única explicação possível é a bolha rosada assassina, que está sugando a vida de indivíduos para se alimentar, só que ao relatar o ocorrido ninguém além da namorada de Steve acredita nele.

https://www.youtube.com/watch?v=TdUsyXQ8Wrs&t=32s

Fugindo do inferno (The great escape), de John Sturges (1963) 172 min
Sinopse: Em 1943 os nazistas decidem transferir os prisioneiros de guerra militares, que têm maior incidência em tentativas de fugas, para o mesmo campo, que foi projetado para impedir qualquer tipo de evasão. Mas isto foi um erro, pois apesar dos prisioneiros gozarem de certos privilégios, cada um era o melhor na sua “especialidade” e não pretendiam ficar presos até o final da guerra. Logo idealizam um audacioso plano de fuga, que previa a construção de três túneis, mas a idéia não era retirar do campo alguns prisioneiros mas sim duzentos e cinqüenta. “Big X” Bartlett é um soldado britânico que habilmente elabora todo o plano. Ele é auxiliado por Danny Willinski, um polonês que é especialista em fazer trincheiras. Há também dois americanos: Hendley, que tem talento para roubar, e Hilts, que tem um jeito rebelde, além de ter ideias próprias de como fugir e ser um recordista na tentativa de fugas. Há ainda Blythe, um mestre na falsificação. A ideia de fazerem três túneis é que se um deles for descoberto os outros ainda servirão para a evasão. Além da fuga propriamente dita há um esquema para, após saírem do campo, chegarem até a Inglaterra ou qualquer outro país neutro.

https://www.youtube.com/watch?v=r9Q_WESQUVw

LIVE

Dia 17/03, às 19h, com o crítico de cinema Ricardo Largman

*A live será mediada pelo curador Mario Abbade e acontecerá pelas redes sociais do CCBB.

AULA MAGNA: STEVE MCQUEEN – O ARQUÉTIPO DO ANTI-HERÓI DE POUCAS PALAVRAS

Dia 20/03, às 14h.

Inscrições gratuitas na plataforma Sympla, com transmissão via Zoom. Vagas limitadas. Duração 120 minutos. Aos participantes será oferecido certificado.

A atividade, ministrada pelo curador Mario Abbade em parceria com o ator Eriberto Leão, tem como proposta abordar os diferentes métodos de interpretação. Por meio de exercícios teóricos e práticos, o aluno poderá descobrir e vivenciar essas escolas de pensamento sobre a arte de atuar.

Serviço:

Mostra Steve McQueen – The king of cool – Programação online

Local: Plataformas Zoom e Wurlak e redes sociais do CCBB

Data: De 16 a 22 de março de 2021 – no formato on line

Classificação indicativa: Confira na programação da mostra

Entrada franca

Ingressos: acesso gratuito via plataforma Wurlak.com e demais canais, conforme programação

Informações: (61) 3108-7600 ou pelo e-mail [email protected]

 

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Atualizações Recentes

Historiadora Lucília Neves Delgado cobra do governo federal pesquisa sobre vítimas do Covid-19

Historiadora Lucília Neves cobra do governo federal pesquisa sobre o Covid-19. Doutora em Ciências Humanas pela USP, Mestre em Ciência Política pela UFM e historiadora

Casamentos continuam a acontecer, apesar da pandemia

Quarenta por cento dos casamentos realizados pela juíza Maria Victoria Riera, no 5°Registro Civil das Pessoas Naturais, em Botafogo, são de casais com renda inferior

Homenagem ao aniversariante Getúlio Vargas

Ex- presidente da Juventude Socialista do PDT, vice-presidente da Fundação Leonel Brizola e porta-voz do Rio Boa Praça, o cientista político Everton Gomes fará homenagens,

Vacinação contra o H1N1 contribui no combate à Covid-19

Empresas se empenham para levar imunização a colaboradores e assim desafogar o sistema de saúde. Construtora está entre as que manteve a boa prática neste

%d blogueiros gostam disto: