Trilhas, Noite cheia de Lua de Sol estreia no Teatro Galpão
Artes Cultura Teatro

Trilhas, Noite cheia de Lua de Sol estreia no Teatro Galpão

TRILHAS, NOITE CHEIA DE LUA DE SOL

Espetáculo de autoria de Cláudia Andrade, com direção de elenco de Humberto Pedrancini, estreia em abril no Espaço Cultural Renato Russo

Foi em uma oficina fomentada pelo FAC (Fundo de Apoio à Cultura-DF), em 2017, que TRILHAS, NOITE CHEIA DE LUA DE SOL  começou a ser forjada. Nas dinâmicas propostas com o objetivo de despertar novos talentos para a dramaturgia, o texto da participante Cláudia Andrade chamou a atenção do dramaturgo Maurício Arruda (Cia Armazém), à frente da Oficina. “Você é uma roteirista de mão cheia, com muita fluência em pensar imagens que dizem muito das personagens. E isso é ótimo porque nem todo dramaturgo tem essa capacidade. Do ponto de vista especificamente dramatúrgico, vejo que você criou personagens interessantes e que são boas de por sobre o palco e a história é próxima de nós”, avaliou Maurício. E foi assim que a oficina Caminhos abriu passagem para as Trilhas que Cláudia nos apresenta em sua peça de estreia, com temporada confirmada entre 06 e 10 de abril, no Teatro Galpão, no Espaço Cultural Renato Russo.

“TRILHAS propõe a desconstrução de padrões estigmatizados, deixa uma incógnita no ar em uma dramaturgia aberta, onde suas personagens podem ser decifradas diferentemente por cada espectadora ou espectador – e suas próprias histórias.  Trazer TRILHAS para a cena é revelar e aproximar o Brasil em suas diferenças. Estou muito feliz com a oportunidade de realizar esse projeto e ansiosa para apresenta-lo ao público de nossa cidade”, afirma a autora.

Profissional polivalente, Cláudia, que é formada em Radio, TV e Cinema pela UnB, vem atuando como atriz, produtora, consultora, jornalista, fotógrafa ao longo de uma carreira de 40 anos. Então, mesmo com bastante experiência no meio artístico, a estreia como dramaturga é um desafio estimulante. E o fato de seu primeiro texto dramatúrgico ter sido contemplado para montagem pelo FAC-DF reforça a confiança de que essa trilha é certa.

Nessa travessia, ela tem a companhia de muita gente boa, a começar pelo ator, diretor e dramaturgo, o mestre Humberto Pedrancini, responsável pela preparação das três atrizes: a própria Cláudia Andrade, Eloisa Cunha e Genice Barego. A direção de Videoarte é de Anibal Alexandre, a produção musical de Mateus Ferrari, a iluminação de Ana Quintas e a produção executiva de Elisa Mattos. Na parte de comunicação, Gaivota Naves (mídias sociais), Charlotte Vilela (assessoria de comunicação) e registro audiovisual dos jovens talentos Gabriel Ikeda e Moisés Muálem.

A temporada de TRILHAS, NOITE CHEIA DE LUA DE SOL constará, inicialmente, de seis sessões. Destas, uma contará com interpretação em libras, possibilitando a pessoas surdas e não usuárias da língua portuguesa a imersão no espetáculo. 40 alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos) também serão convidados a assistir a uma das sessões, com direito a transporte até o local. Inclusivo, o Espaço Renato Russo oferece acessibilidade estrutural, com banheiros especiais, reserva de espaços para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, rampas e corrimões.

 

Sobre TRILHAS, NOITE CHEIA DE LUA DE SOL

Em “TRILHAS, NOITE CHEIA DE LUA DE SOL”Cláudia propõe a integração das artes cênicas com as artes plásticas e visuais (videoarte), o audiovisual e a música para abordar as histórias de Silvia e Gimena, intermeadas pelas intervenções de Gaivota. A trama é contada por uma narrativa cênica-musical-imagética, pontuada por um repertório eclético de canções emblemáticas de várias épocas, que falam ao coração destas personagens. Mulheres operárias do sistema, viajantes e andarilhas dos caminhos da vida, trilhados ora por vontade própria, ora por necessidade, ora por força do momento, ora pelo destino.

A história se dá a partir do encontro de duas mulheres de meia idade, de origens e perfis socioeconômico e cultural visivelmente distintos. Silvia (Eloisa Cunha) é uma mulher cosmopolita, alta executiva, refinada, rica e bastante vaidosa que vem da agitada vida das metrópoles. Gimena (Claudia Andrade) é do campo, da singeleza da vida do interior, do sertão, simples e de fortes tradições e crenças. Ambas possuem uma vasta cultura. Inicia-se ao cair da tarde, numa parada de ônibus erma, em algum lugar do interior do Brasil, onde estes contrastes são latentes e reais.

A narrativa se desenvolve ao longo da estrada, onde as histórias de vida destas mulheres – representantes de muitas outras – são desveladas liricamente ao longo da inusitada viagem, repleta de surpresas, mitos, lendas e revelações. Um verdadeiro encontro de almas, apesar das diferenças. Pontuando esta jornada, está Gaivota (Genice Barego), uma figura agênera, excêntrica e atemporal, misto de andarilha e xamã, que atua por vezes de forma alheia a cena e, por outras, de forma interativa.

Trilhas, Noite Cheia de Lua de SolLocal: Teatro Galpão – Espaço Cultural Renato Russo – 508 SulDatas: 06 a 10/04Horário: quarta à sábado – 20h/domingo – 19h

Duração: 90 minutosClassificação indicativa: 16 anosIngressos: 10,00 (inteira) – 5,00 (meia)*Meia entrada para: Estudantes, maiores de 60 anos, professores e portadores de necessidades especiais mediante comprovação de benefício.Ponto de Vendas Venda antecipada a partir de 21/03 no site ingresso digital www.ingressodigital.com Na bilheteria do Teatro ás 17hs – no dia do espetáculoInformações: @trilhasnoitecheiadeluadesol

A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio. Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal, e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.