Turismo desenvolve hospedagens adaptadas à Covid-19, em Pirenópolis-GO

A queda no faturamento do turismo em Goiás foi de 33%, segundo o Observatório do Turismo. Na retomada, setor hoteleiro busca inovações para que experiência seja segura contra a Covid-19 e nada atrapalhe a retomada. Bem-vindo à Ayla Smart House

Imagine passar uma temporada em uma casa minimalista, pequena porém com tudo o que você precisa. Uma casa que está em meio à natureza, porém com muita tecnologia embarcada. Você acorda e a própria casa te diz “bom dia”, acende a luz por comando de voz e prepara o seu café automaticamente. Os visitantes de Pirenópolis, localizada a 120 km de Goiânia e 140 km de Brasília, poderão experimentar essa sensação com a Ayla Smart House, projeto desenvolvido por dois empreendedores da cidade que investem em um ecoturismo que valoriza o minimalismo misturado à necessidade por segurança sanitária nos novos tempos de pandemia.

Turismo desenvolve hospedagens adaptadas à Covid-19, em Pirenópolis-GO

O projeto da habitação de 37 m² foi idealizado pelo jovem empreendedor, Neylon Jacob, e pelo seu pai, o artesão e carpinteiro Nelton Xavier de Barros, e contou com a colaboração do mestre de obras Adriano Lena. Pronta para receber hóspedes a partir de 30 de outubro, foram aproximadamente oito meses de trabalho para preparar cada detalhe para tornar a casa funcional e inteligente. A pandemia norteou o projeto, que traz soluções para o novo período em que minimizar a necessidade de toque passou a ser uma medida sanitária. “Adotamos também o conceito smart para que as pessoas tenham o mínimo de contato com os objetos. A automação passou a ser uma aliada porque muitos comandos podem ser dados por meio do comando de voz, como ligar luzes e ar condicionado”, destaca Jacob.

O setor de turismo foi um dos que mais sofreu com a pandemia pelo coronavírus. Em Goiás, cidades turísticas como Pirenópolis ficaram 5 meses sem receber visitantes, o que representou uma queda de 33% no faturamento médio de ICMS com as Atividades Características do Turismo (ACT’s) de janeiro a julho de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. Os dados são do Observatório do Turismo e, para a região turística de Ouro e Cristais, na qual se insere Pirenópolis, o faturamento caiu em 39%.

“Foram momentos difíceis. Pensar em inovação foi uma forma de dar a volta por cima nessa crise provocada pelo vírus, uma forma de focar em um futuro de coisas boas, e não em um presente tão limitador”, desabafa Jacob, que começou a pensar na casa durante o período de de isolamento para que o negócio da família, a Shambala Piri, atravessasse esse período desafiador.

Turismo desenvolve hospedagens adaptadas à Covid-19, em Pirenópolis-GO

Os hóspedes, por exemplo, serão lembrados de seus compromissos durante a estadia na smart house por meio do programa Google Nest, que proporcionará ao hóspede programar toda a sua agenda e receber notificações por meio de uma voz inteligente instalada na casa. “O espaço será praticamente todo automatizado. Também foi pensada em uma máquina de café para prepará-lo antes mesmo da chegada do turista, de modo que ele escolhe o melhor horário para isso, bastando saber o horário preciso para se configurar a máquina. O fogão também será aceso por indução, garantindo a segurança para os visitantes”, destaca Jacob.

No living, haverá um cinema de aproximadamente 150’ smart que possibilita o acesso a plataformas de streaming pelo comando de voz. “O check-in e check-out, além das compras e pagamentos de tudo o que for consumido no local será feito de maneira digital, sem contato humano, por meio de um sistema próprio com o site www.temporadaempiri.com.br”, detalha o empreendedor.

Luar como protagonista

Batizada de de Ayla, o nome tem origem hebraica e significa luz do luar. Jacob explica a escolha se deu pela existência de duas janelas sobre a cama da smart house que possibilitará uma linda vista do luar nas serras da região. “Propositadamente, a gente quis valorizar esse presente da natureza, que será ainda mais especial nas noites de lua cheia”, diz o idealizador.

Com capacidade de receber duas pessoas, a Ayla é toda feita toda de madeira de eucalipto tratado e ipê roxo. Com dois pavimentos, no mezanino, está o quarto do casal com uma cama queen size. Embaixo, tem a cozinha americana e o living, com um cinema e um deck de 2,5m x 5m com banheira de hidromassagem e bistrô.

 

A iluminação natural será outra característica da casa, são cinco janelas de 1,5 x 1 metro. Em busca pela sustentabilidade, ela conta com aquecimento solar para a banheira de hidromassagem e o chuveiro. A cobertura é feita com telhas ecológicas onduline, proveniente de fibras vegetais recicladas e com processo produtivo de baixo impacto ambiental.

Shambala Piri

A Ayla será a sétima casa com conceito voltado para a convivência com a natureza na estância Shambala Piri, uma pequena estância de casas de temporada voltada para o ecoturismo. A casa, que teve incentivo da Goiás Fomento, tem como referência o Movimento Pés Descalços, que propaga a busca por uma vida mais livre e simplificada.

“A gente percebe um crescimento desse movimento da vida simples, em que as pessoas buscam pelo essencial. Querem conforto sim, mas dispensam o que não é necessário. Esse é o espírito dessa nova unidade”, define Jacob. No mês de inauguração, os hóspedes receberão como cortesia cafés, um espumante Chandom, massagem relaxante e escalda pés.

“Apesar ter conceito minimalista, a casa apresenta muitas possibilidades de experiências. No deck, por exemplo, a banheira de hidromassagem poderá ser usada como piscina privativa durante o dia, com água fria e opção de tomar um espumante ou vinho gelado. Já à noite, o hóspede pode escolher uma água mais quente, tomar um bom vinho e um fondue em um ambiente mais intimista”, destaca.

Para completar o ambiente, a estância vai disponibilizar em seu canal do Spotify uma playlist com músicas de diferentes gêneros que podem ser selecionados de acordo com o gosto e o perfil do visitante. A estadia também dá direito ao hóspede de usufruir de toda a estrutura da Shambala Piri, que é pet friendly e oferece estacionamento e área de lazer com redário, piscina, ducha e churrasqueira.

Atenção com os detalhes

A smart house ainda contará com uma linha de amenidades, desenvolvida pelo grupo Famiglia Valdugo, para proporcionar mais conforto para os hóspedes. “A casa contará com sabonetes, condicionadores, loções para o corpo, sais de banho e hidratantes, que usam o conceito do vinho para levar a essência da uva para os produtos de beleza e estética”, detalha Jacob.

O enxoval será de alto padrão, com lençóis de 400 fios e, ao lado da cama, uma mesa com acesso à internet que possibilita, caso seja necessário, desenvolver atividade de home office com o máximo conforto. Para aqueles que querem se arriscar na cozinha fazendo pratos rápidos e práticos, o espaço disponibilizará pequenos vídeos com receitas e modos de preparo de diversos pratos da culinária local, feitos por chefes regionais que trabalham em grandes hotéis.

Próximas novidades

Com a insatisfação incansável natural a todo empreendedor, Jacob tem desenvolvido outros projetos para a estância. Até o final do ano, ele inaugura uma experiência degustativa de vinhos e queijos especiais para os hóspedes. Além disso, haverá uma carta de vinhos nas acomodações com produtos nacionais e internacionais elaborada por meio de uma consultoria com a enoteca Decanter Goiânia.

“E, para 2021, teremos mais inovações para proporcionar um mix de tecnologia, natureza e experiências gastronômicas para os turistas de Pirenópolis”, ressalta o empreendedor, que desenvolveu na estância a primeira casa na árvore para o turismo em Pirenópolis, em 2018.

Serviço:
Ayla Smart House
Local: Estância Shambala Piri (Pirenópolis-GO)
Reservas: temporadaempiri.com.br

Artigo anteriorFábio Jr. se apresenta no palco do Espaço das Américas
Próximo artigoMoradores de Águas Lindas podem ganhar o churrasco de fim de ano
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.