Comércio vegano atende público não vegano e empresas crescem de olho nesse segmento

Recentes pesquisas revelam que os consumidores de produtos veganos, em sua maioria, não são necessariamente veganos. Conforme dados da consultoria Kantar, 92% das refeições à base de plantas, ou ‘plant based’, foram consumidas por pessoas não veganas. Entre os pratos preferidos estão massas e pratos à base de arroz.

No Brasil, esse consumo também está cada vez mais evidente já que 49% dos participantes do estudo “O Consumidor Brasileiro e o Mercado Plant Based”, elaborado em 2020 pelo The Good Food Institute (GFI), declararam redução do consumo de carne nos últimos 12 meses, sendo que 85% deles relataram ter interesse por ‘carnes vegetais’.

Atenta a isso, empresas têm investido em opções que agradam ambos os públicos e mesmo aquelas que focam em um determinado perfil têm conquistado o mercado e fazendo frente aos gigantes. É o caso, por exemplo, da rede de franquias Açougue Vegano, que aproxima a culinária vegana de pessoas interessadas em reduzir o consumo de alimentos de origem animal, os chamados ‘flexitarianos’. Com atendimento também via delivery, os fundadores da rede, Celso Fontes e Michelle Rodriguez, destacam que o diferencial está no preço e nas receitas que agradam tanto veganos e vegetarianos quanto flexitarianos.

Vinkmag ad

Redação

Read Previous

Empresários e moradores protestam contra abandono do Chafariz da Glória.

Leia a seguir

9 dicas para ter sucesso no processo seletivo digital

setembro 25, 2021