Dia Mundial da Psoríase – dermatologia integrativa atua como grande aliada no combate à doença

Dia Mundial da Psoríase

Dia Mundial da Psoríase

O dia 29 de outubro é marcado como o Dia Mundial de Conscientização da Psoríase, uma doença inflamatória da pele, autoimune e não contagiosa. Segundo dados da ONG Psoríase Brasil, a doença acomete mais de 125 milhões de pessoas no mundo todo e, no Brasil, são mais de cinco milhões de portadores. A doença atinge igualmente homens e mulheres e costuma se manifestar antes dos 30 e após 50 anos, mas ela também pode surgir em outras fases da vida.

A psoríase é caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas no couro cabeludo, cotovelos, joelhos, pés, mãos, unhas e região genital, mas pode se apresentar em todo o corpo.

Apesar de ainda não ter cura, tem controle e o tratamento é totalmente voltado para a melhora da qualidade de vida dos pacientes. “Ainda com causa desconhecida pela medicina, estudos apontam que a psoríase pode estar relacionada ao sistema imunológico, às interações com o meio ambiente e à suscetibilidade genética. As lesões provocadas pela doença no corpo, variam de pequenas até o comprometimento de toda a pele”, explica o dermatologista Erasmo Tokarski.

A psoríase é uma doença cíclica, ou seja, ela apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente. Portanto, após o diagnóstico é preciso fazer o tratamento adequado para manter as lesões sob controle, o que melhora a qualidade de vida dos pacientes.

Associada ao tratamento convencional, que funciona, mas muitas vezes não atinge a raiz do problema e acaba sendo uma solução temporária, a Medicina Integrativa é uma ótima aliada no controle da doença.

A Dermatologia Integrativa se propõe a ampliar o olhar ao paciente, observando não somente os fatores físicos, mas os emocionais e psíquicos que interferem na saúde da pele. A doença e seu tratamento dependerão, portanto, de um profundo entendimento dos fatores pessoais que podem afetar o curso da doença, a aceitação do tratamento e, finalmente, a obtenção da saúde e do bem-estar desejados. O tratamento segue as bases da medicina convencional, mas pode ser associado a técnicas complementares, integrando diversas abordagens terapêuticas para atender as necessidades do paciente.

Para o dermatologista Erasmo Tokarski, o principal benefício da abordagem multidisciplinar é enxergar o paciente como um todo e proporcionar um atendimento humanizado.

Várias doenças de pele apresentam fatores psicológicos em seu desencadeamento ou agravamento. As terapias complementares têm um peso importante no tratamento. A adoção de hábitos de vida saudáveis, como um plano alimentar orientado, rico em alimentos anti-inflamatórios, atividade física regular, sono adequado e controle de fatores desencadeantes, especialmente os psicogênicos, pode trazer grande melhora.

Vinkmag ad

Isabel Almeida

A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio. Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal, e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.

Read Previous

Concurso CGU 2021 – confira dicas para se preparar antes do edital

Leia a seguir

Tico de Moraes é a atração da Quinta do Jazz

dezembro 3, 2021