Tradição diz que cores de lingeries remetem aos desejos para o próximo ano. Em Goiânia, lojistas e produtores de moda do Estação da Moda Shopping, apontam que procura pela cor vermelha aumenta 20% nesta época

É de conhecimento popular que o brasileiro é bastante supersticioso e que segue as tradições em busca de sorte e positividade durante as festas de final de ano. De acordo com a cultura do brasileiro, cada cor tem um significado. O vermelho representa amor e o amarelo prosperidade, por exemplo. Para atender essa demanda, os lojistas do Estação da Moda Shopping preparam coleções diversificadas e com uma grande gama de cores.

Vermelha, branca, preta e amarela são as cores de lingerie mais procuradas para as festas de final de ano, De acordo com Fábio Potji, personal stylist, visual merchandising e gerente da República da Moda, maior loja de atacado do setor de vestuário em Goiás, localizada no Estação da Moda Shopping, os lojistas já começaram a fazer as compras para a vendas de final de ano e o vermelho reina absoluto na preferência das cores.

“Em  primeiro lugar estão as vermelhas, depois as brancas, as pretas e as amarelas”, disse Potji. De acordo com ele, a escolha das lingeries do final de ano é marcada por tradição e superstição. “Tem aquela questão de que o vermelho é paixão, branco paz, preto independência e luxo, amarelo está ligado a prosperidade financeira. Então posso dizer que nossas clientes querem um 2020 cheio de paixão”, disse.

Potji revela também que as mulheres estão mais ousadas e interessadas nas tendências da moda. “As cintas-liga e o corpete são super tendências do underwear. As peças saíram da roupa baixo,  ganharam destaque nos figurinos e são as mais procuradas neste final de ano”, revelou. Ele conta que, no que diz respeito ao modelo das lingeries, a mulher goiana, mesmo a mais tradicional, tem escolhido peças ousadas com a calcinha menor e o sutiã mais elaborado.

Quando o assunto é tecido, o profissional de moda conta que as rendas e o algodão são os mais procurados. “As lingeries que tem renda e algodão são confortáveis bonitas e elegantes. Vão do sensual ao romântico, passando pelo clássico e pelo moderno. Agradam a todos os gostos e estilos e são recomendadas por garantir frescor em nosso clima quente”.  Potji destaca ainda que é possível, na República da Moda, comprar conjuntos de lingeries especiais com valores que variam entre R$ 25 e R$ 59.

Homens também estão atentos a peças especiais

O empresário Ítalo Wanderley confirma a preferência feminina pela cor vermelha, também na Itana Moda Íntima, loja de fábrica goiana localizada no Estação da Moda Shopping. “Atuo aqui desde 2007 e as cores vermelha, amarelo  e branco são as mais procuradas”, disse o fabricante ao explicar que o preto sai muito bem o ano todo, mas no período das festas de fim de ano ele perde espaço para as a cores.

Wanderley confirma que as vendas estão diretamente ligadas às superstições e tradições culturais. “Como trabalhamos com o atacado, o lojista já chega para fazer as compras pensando naquilo que, no ano anterior, o cliente falou que mais desejava para esse ano. E, sem dúvidas, o amor e a paixão que são representados pelo vermelho ganham em uma larga escala”, disse. De acordo com ele, essas cores chegam a ter uma procura 20%  maior que as outras neste período.

Para quem pensa que só as mulheres se preocupam com estes detalhes, o confeccionista revela que a marca também desenvolve coleção com cores e peças especiais para o público masculino. “ Assim como as mulheres, os homens também querem estar bem e de acordo com o que manda a tradição. A cada ano a procura por peças masculinas especiais cresce em torno de 10 a 15%”, explicou.

 

Artigo anteriorNatal entre amigos de Leo Reis
Próximo artigoFestas de fim de ano fazem aumentar em 40% a procura por serviços de beleza
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.