VIII Mostra de Intérpretes Criadores Alaya Dança
Cultura Teatro

VIII Mostra de Intérpretes Criadores Alaya Dança

VIII Mostra de Intérpretes Criadores

Alaya Dança

Espetáculos, vivências, palestras e oficinas gratuitas e abertas ao público

De 7 a 20 de agosto, no Centro de Dança do DF

A VIII Mostra de Intérpretes Criadores – Alaya Dança chega com o tema “ÉAQUIÓ”, que afirma a nossa vontade na via de outro olhar para o caos instalado no planeta, onde o viver, o sobreviver e o sentir se correlacionam com variantes individuais; transitando do singular e desaguando no contexto da coletividade. A reflexão gira em torno da afirmação da presença, do lugar, do agora, do tempo, da respiração, do pulsar do coração, da concretude a impermanência, no espaço circunstância e mediado por um movimento de alteridade.

Inspirado no tema, a oitava edição da mostra, realizada de 7 a 20 de agosto de 2022 no Centro de Dança do DF, com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, conta com espetáculos, palestras e vivências gratuitas, abertas ao público, e uma Plataforma de Processos Criativos, atividade de formação na qual participam 14 candidatos selecionados de vários estados brasileiros. “Nesse período estarão convivendo e trocando experiências com novos artistas e nomes de peso da dança contemporânea brasileira. E o público terá oportunidade de dialogar sobre o movimento e a dança e ainda apreciar espetáculos de grandes intérpretes-criadores, além do resultado da residência artística”, afirma Lenora Lobo, diretora artística do evento.

A Plataforma, dirigida a novos criadores de todo país, é orientada por Rui Moreira e Tuca Pinheiro, profissionais renomados da dança e dramaturgia. A dupla terá o suporte da diretora do Alaya Dança, Lenora Lobo, e dos integrantes do Núcleo Alaya: Marcilma Carvalho, Christiane Lapa, Hilton Gonçalves e Cleani Calazans.

As Mostras do Alaya Dança vêm contribuindo ao longo dos últimos 22 anos com a investigação de novos formatos de criação em dança contemporânea. Após seis mostras investindo na identidade e no indivíduo, a 7ª edição se tornou chave de mudança, estimulou a expressão do singular no âmbito do contexto coletivo; numa Plataforma de Criação com novos artistas. A reverberação do resultado desta ação criou alicerce para o projeto da VIII Mostra em torno da Plataforma/residência, instigando o ato de criar pela troca e da coletividade.

Espetáculos gratuitos

Um dos pontos altos da VIII Mostra de Intérpretes Criadores serão as apresentações de dança dos intépretes convidados que muito vêm contribuindo com a arte e a dança contemporânea brasileira. São três espetáculos apresentados no Centro de Dança do DF, sempre às 20h. Dia 7/8, Rastros, de Vanilton Lakka; Dia 13/8, Co ÉS, de Rui Moreira, e dia 14/8, A Rainha, de Andrea Jabor, que apresenta versão comentado do espetáculos para a mostra.

Rastros (Vanilton Lakka)

Um mostruário de coleções, de camadas corporais e de negociações que geraram um corpo singular, moldado pelo tempo, pela sobrevivência, pela permanência. A matéria prima são os padrões corporais derivados da chegada do Hip Hop no Brasil e os resultados individuais alcançados após anos de negociações, conflitos e interações.

Co ÉS (Rui Moreira)

Co Ês (com eles) é uma Contação de história através dos gestos. Contar histórias é uma atividade que ocupa a imaginação humana há milhares de anos, gente de todos os lugares conta histórias para divertir, ensinar, relembrar ou apenas passar o tempo. As pessoas começaram a contar histórias muito antes de a escrita ter sido inventada. Em algumas culturas, todos podiam passar as histórias adiante, já em outras culturas, somente os contadores de história especiais tinham essa tarefa tão importante. Eles arranjavam maneiras de contar suas narrativas de um jeito bem interessante. Isso ajudava a reforçar a ideia de que as pessoas deveriam ouvir suas histórias e lembrar-se delas.

A Rainha (Andrea Jabor)

A Rainha é um espetáculo que nasce em 2015 e vem se transformando a cada ano e cada local que se apresenta. O espetáculo hoje é um trabalho pensado para a primeira infância que convida o público a adentrar o mundo onírico, mágico e efêmero das fábulas e contos maravilhoso. Vestida com grandes saias infláveis e flutuantes de onde as coisas surgem e somem, a Rainha se transforma o tempo todo. O público interage com ela através de experiências sensoriais no movimento, no toque, na escuta, através da sensibilidade dos sentidos. No palco, A Rainha bailarina divide a cena com músicas, figurinos, teatro de sombras, luzes e objetos que evocam, com graciosidade, as características de uma Rainha, fazendo uma celebração da natureza pela dança e pelo brincar, através da relação com o outro, com as flores, os cheiros, as cores a experiência tátil e sensível do mundo. A obra oferece uma oportunidade para vivenciar o mundo extraordinário e sensível das artes cênicas, pela ótica da primeira infância, que dialoga com afeto e empatia pelo mundo e pelo outro desde muito cedo.

PALESTRAS, vivências e oficina de dança contemporânea

Artistas e público também serão brindados com palestras norteadas pelo processo de criação em dança conduzida por profissionais que são referência no universo do movimento. Será realizado um ciclo de dez palestras; um espaço destinado para o debate e o aprofundamento das discussões acerca do tema da mostra com público em geral, intérpretes criadores, pesquisadores da dança, professores e diretores de artes cênicas. Em subsequências às palestras, seus conteúdos e discussões, Vanilton Lakka e Andrea Jabor, se deslocarão para vivências abertas ao público, aportados por seus estudos e experiências artísticas e no que concerne a reflexão dos Processos criativos. Essa etapa será realizada no Centro de Dança dia 08/08, às 16h com Vanilton Lakka, dia 13/08 às 10h com Andrea Jabor. Já as oficinas serão ministradas pela bailarina e intérprete-criadora Marcilma Carvalho, com práticas e abordagens posicionais ao tema; essa rede de atividades será direcionada para um coletivo de comunidades e escolas das cidades administrativas/DF.

Residência /performance – Éaquió

O núcleo de pesquisa Alaya Dança chega com o tema da performance “ÉAQUIÓ”, produzindo a VIII Mostra do Alaya, após uma convocatória de muito sucesso, onde foram selecionados artistas de diferentes regiões do Brasil. Essa plataforma de residência em dança possui uma pegada de imersão e criação intensa e é mediada pelo coreógrafo Rui Moreira (RS) e pelo artista e dramaturgo Tuca Pinheiro (MG), profissionais focados para a criação desse trabalho de características performáticas.

“ÉAQUIÓ” é um produto preformance consequente de duas semanas de muita troca e criação coletiva, somada a palestras, espetáculos e oficinas. Como de hábito e esperado essa performance/residência ganhará atributos de valor; de multiplicação e reverberação, uma vez que avancará para novos territórios através dos artistas selecionados. A VIII Mostra de Intérpretes Criadores do Alaya Dança será encerrada com Performance concebida pelo corpo de integrantes da residência, Plataforma de Processos Criativos, com apresentações nos dia 19 e 20 de agosto. No sábado (20), após a apresentação, haverá um bate-papo com o público e intérpretes sobre o processo e resultado artístico apresentado, fruto da imersão ao longo das duas semanas de criação.

VIII MOSTRA INTÉRPRETES CRIADORES – ALAYA DANÇA (ÉAQUIÓ)

De 07 a 20/08/2022

Local: Centro de Dança do DF

Direção Artística: Lenora Lobo

Produção: Arteviva

Realização: Alaya Dança

Residência Artística dos selecionados para a plataforma – Processo interno de imersão e criação.

Todas as atividades da VIII Mostra serão gratuitas e abertas ao público:

Mesa de abertura: Lenora Lobo, Rui Moreira e Tuca Pinheiro.

O lugar do criador

Data: 07/08

Hora: 18h30

Local: Centro de Dança do DF

Palestras:

Local: Centro de Dança do DF

Mesa 1

O Ato de criar e coreografar com Vanilton Lakka

Data: 08/08/2022

Hora: 19h

Mesa 2

Processo de criação e composição cênica com Rosa Coimbra

Data: 09/08/2022

Hora: 19h

Mesa 3

O Lugar do criador – Interpretar e coreografar com Rui Moreira

Data: 10/08/2022

Hora: 19h

Mesa 4

Processo de criação e coreografia com Renata Rezende (PCD)

Data: 11/08/2022

Hora: 15h

Mesa 5

O Lugar do criador – Dramaturgia e composição com Tuca Pinheiro

Data: 11/08/2022

Hora: 19h

Mesa 6

Processo de criação e composição cênica com Giselle Rodrigues

Data: 12/08/2022

Hora: 19h

Mesa 7

O Ato de criar e coreografar com Andrea Jabor

Data 12/08/2022

Hora: 20h

Mesa 8

O Ato de criar e coreografar com Luciana Lara

Data: 15/08/2022

Hora: 19h

Mesa 9

Processo de Criação e composição cênica com Eliana Carneiro

Data: 16/08/2022

Hora: 19h

Mesa 10

O Ato de criar e coreografar com Márcia Duarte

Data: 17/08/2022

Hora: 19h

VIVÊNCIAS

Local: Centro de Dança do DF

Processo criativo com Vanilton Lakka

Data: 08/08/2022

Hora: 16h às 19h

Processo criativo com Andrea Jabor

Data: 13/08/2022

Hora: 10h às 13h

ESPETÁCULOS

Local: Centro de Dança do DF

Espetáculo: Rastros de Vanilton Lakka

Data: 07/08/2022

Hora: 20h

Espetáculo: Co ÊS de Rui Moreira

Data: 13/08/2022

Hora: 20h

Espetáculo: A Rainha de Andrea Jabor

Data: 14/08/2022

Hora: 20h

APRESENTAÇÃO DA PERFORMANCE ÉAQUIÓ

Data: 19/08 e 20/08

Hora: 20h

Local: Centro de Dança do DF

*Dia 20/08 após apresentacão da performance teremos avalição final da VIII Mostra.

Diretor de criação/coreógrafo: Rui Moreira

Dramaturgia: Tuca Pinheiro.

Intérprete criadora Assistente/Alaya Dança: Marcilma Carvalho

Intérpretes Criadores /residentes

Alexandre ROIZ (Uberlândia), Edson Beserra (DF), Felipe Alexandre(PE), Luiza Monteiro(PA), Marcos Davi (DF), Melissa Figueiredo (BA), Monica Berardinelli, (DF) Naedly Franco (DF), Poema Mühlenberg (DF), Renata Roel (PR), Rodrigo Gondim (RJ), Selma Trindade (DF), Victor Alves (BH), Zé Reis (PI).

Intérpretes Criadores residentes/Alaya Dança: Christiane Lapa, Cleani Calazans, Hilton Gonçalves.

A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio. Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal, e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.