Carnaval é uma época em que a possibilidade de consumo abusivo de bebidas alcoólicas fica mais evidente. Embora o consumo racional de álcool possa não aumentar a chance de doenças cardiovasculares, o excesso tem consequências graves. O risco é ainda maior em comemorações como o Carnaval, quando há combinação de bebidas destiladas e energéticas.

Ingerir quantidades aumentadas de álcool pode elevar o risco de estreitamento das artérias que irrigam o coração e, assim, oferecer mais chances de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, além de piorar quadros como hipertensão, diabetes e insuficiência cardíaca.

Em um ambiente de carnaval pode ser difícil para o folião perceber que exagerou no consumo de bebida alcoólica. “Tem que tomar cuidado também com o que você bebe. Com destilados a chance de você ficar intoxicado é muito maior do que se você tomar bebida com menor concentração de álcool”, explica Dra. Edna Oliveira, cardiologista eletrofisiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor).

Querendo manter a disposição e aproveitar mais, é comum que as pessoas não se atentem aos riscos que o consumo excessivo de energético traz à saúde. A cardiologista ressalta ainda que o consumo desse tipo de bebida deve ser monitorado, já que se tratam de desreguladores endócrinos, que afetam as batidas do coração. “Isso provoca riscos e consequências graves, como o aumento dos níveis da pressão arterial e da frequência cardíaca, mesmo em pessoas saudáveis”, alerta Dra. Edna.

Artigo anteriorAlerta de trend: pochetes e viseiras caem na folia
Próximo artigoCiro Gomes cancelou participação no carnaval por causa de atentado ao irmão
Avatar
A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e escreve em diversos sites como: colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio . Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal,e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.