Querida, encolheram o ap!

Apartamentos compactos são tendência diante de aumento das famílias pequenas e pessoas que moram sozinhas. Espaços pensados para quem mora sozinho ganham força em grandes centros e bairros valorizados da capital

Os imóveis compactos passaram a chamar mais a atenção do mercado imobiliário nos últimos anos. Diante de uma mudança no perfil da família brasileira e atentas à praticidade da mobilidade e as questões econômicas, construtoras e incorporadoras passaram a mirar ainda mais o aumento de números de pessoas que moram sozinhas, casais sem filhos, ou com apenas um filho. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas que moram sozinhas (unipessoal) passou de 10,4%, em 2005, para 14,6% em 2015. Também houve crescimento em relação ao número de casais sem filhos, que passou de 15,2% para 19,9% no mesmo período. Pesquisa da Fundação Seade confirma essa diminuição histórica por meio da queda da taxa de fecundidade no país, passando de 4,3, na década de 1970, para 1,7 em 2020.

Essa nova realidade já repercute nas preferências do consumior. O Índice FipeZap destaca que a venda de imóveis com um dormitório cresceu cerca de 35% desde 2012, enquanto o de locação aumentou 33% desde 2014.

De acordo com o diretor da Sousa Andrade Construtora, Murilo Andrade, o público que busca por apartamentos compactos quer também comodidades agregadas, como serviços que facilitam o dia a dia dentro do condomínio, equipamentos de lazer na área comum para complementar seus momentos de bem-estar, além de estar em uma localização próxima de bons serviços na cidade.

“Fizemos um estudo que constatou que o maior desejo das pessoas no período pandêmico é viajar. Porém, muitas vezes elas não podem viajar e vivem boa parte dos dias dos anos em casa. Então, as áreas em comum e de lazer dos empreendimentos passam a ser mais valorizados nesses empreendimentos por parte dos moradores”, destaca Andrade.

Esse cenário motivou o desenvolvimento do Emirates Parque Flamboyant, em Goiânia, empreendimento desenvolvido em parceria entre a Sousa Andrade Construtora, Terral Incorporadora e Humanae Incorporadora, vai disponibilizar algumas unidades de apartamentos que variam entre 47 e 74 m² com o objetivo de atingir esse público. O novo residencial será construído no Jardim Goiás, em uma área de mais de 3.600 m².

O Emirates contará com um espaço Welness (piscina coberta e spa), salão de festas, pet place, quadra esportiva, espaço coworking, complexo infantil e academia com área externa. Uma das principais atrações é um complexo aquático de 370 m², que contará com piscinas para adultos e infantil, além de dois ofurôs. Essas infraestruturas permitem que os moradores possam aproveitar serviços e momentos de lazer sem precisar sair do residencial.

Além disso, ele será implantado no Jardim Goiás, bairro com carência de apartamentos com metragem compacta. De acordo com o diretor Murilo Andrade, o Jardim Goiás apresenta condições para atender a esse público por apresentar grandes infraestruturas com serviços disponíveis para os moradores a poucos metros. “O bairro é uma região consolidada tanto quanto outras bem conhecidas da capital, como os setores Bueno, Oeste e Marista. É uma região que conta com oferta de escolas, colégios e universidades, além de hipermercados, parques e shoppings que permitem desfrutar de uma boa qualidade de vida, sem se deslocar”, destaca.

Cenário mundial 

O aumento do número de pessoas que moram sozinhas é uma tendência mundial. Um levantamento realizado pelo Serviço Nacional de Estatística na Inglaterra destaca que o número de solteiros no país cresceu significativamente nas últimas duas décadas, sendo 50% maior em comparação com a década de 1990. Com mais de 25 milhões de casas na região, 29% são ocupadas por apenas uma pessoa.

Vinkmag ad

Isabel Almeida

A jornalista Isabel Almeida, trabalha atualmente na Embrapa, é editora do site bsbflash, youtuber do canal Flash Brasília e colunista do jornal Alô Brasília. Natural de Brasília, já trabalhou em diversos órgãos do DF, como na Secretaria de Educação; na Administração Regional do Gama; na Secretaria de Saúde, na Câmara Distrital, e também em GO, na prefeitura de Valparaíso, na gestão de José Valdécio. Atuou também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia- Confea, foi editora da revista Fala Prefeito; e colunista da revista AC/DF e colunista do site AIB News do Rio de Janeiro. Desde 2010 é vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil e Portugal, e em 2016, foi nomeada presidente do Conselho comunitário do Octogonal e Sudoeste.

Read Previous

MRV recebe certificação NDT-1 da Caixa Econômica

Leia a seguir

Edital Semana da Mulher Negra publica resultado preliminar de mérito

dezembro 3, 2021